Ribeirão a la carte: os reis da carne

by - 09:09

Findo o primeiro passeio, com paragem nos principais parques de Ribeirão Preto (post de 22/03), hoje proponho uma visão mais gastronómica e, logo, mais saborosa da cidade, ou não fosse comer bem um dos maiores prazeres desta vida.

A cidade tem opções para muitos gostos e carteiras mas, e porque estamos no interior do estado e do país, as especialidades vêm com carne, carne, carne. Se gosta de peixe, o melhor é escolher outro destino ou improvisar em casa. Digo improvisar porque não encontrará fartura de peixe fresco. Não encontrará fartura de peixe. Ponto.

O mais seguro é mesmo optar pelos congelados, sendo o peixe de rio o que mais se encontra nas peixarias (e existem muito poucas) e nas grandes superfícies. Também se encontra bacalhau mas, também neste caso, o melhor é prepará-lo em casa para não ficar desconsolado. A única exceção é mesmo o sushi, que vem ganhando adeptos.
Mas tergiverso, falava de restaurantes. E de carne. Vermelha, entenda-se.
 

O interior da churrascaria argentina Cabanas Las Lilas


A primeira sugestão para quem gosta de um bom bife é o Cabana Las Lilas, na praça Boa Ventura. A steak house carrega o nome de uma empresa argentina, com muita tradição na produção de gado, cujos restaurantes são famosos sobretudo em Buenos Aires. A ementa (cardápio, em português do Brasil) tem várias opções de carne, todas elas macias, saborosas, suculentas. Se o número de pessoas à mesa permitir, peça vários tipos diferentes para partilhar, e como acompanhamento batatas soufllé – interessantes estas batatas fritas insufláveis – arroz carreteiro e salada.
Não sendo propriamente barato, vale a pena experimentar, sobretudo ao almoço uma vez que certamente sairá dali a querer alargar o cinto. Outro ponto a favor do Cabana Las Lilas é a área para crianças, que permite aos pais prolongarem o convívio à mesa.

Carne, carne, carne. Aqui, acompanhada de batatas soufflés

Num ambiente (muito) mais informal, o Grill do Josemar ou Bar do Jacaré como é mais conhecido, no Jardim de Irajá, é uma boa opção. As mesas estão quase todas na esplanada que invade, de resto, todo o passeio. 

As especialidades são a picanha, servida com mandioca frita, batata frita, arroz e salada (lamento não ter fotos do prato, mas houve um glutão mais rápido do que eu), e também o cordeiro, que não tive oportunidade de avaliar. As porções, ou doses, são muito bem servidas. Meia porção de picanha é suficiente para dois adultos e uma criança, o mais provável é ainda sobrar.

Com um atendimento simpático e cervejas geladinhas, o Bar do Jacaré é bem animado e descontraído, ideal para passar um fim de tarde com amigos a conversar.

À esquerda, porção de linguiça com mandioca e salada de rúcula.

Massas e sushi


O Brasil é um mosaico étnico fascinante. Com a abolição da escravatura, no início do século XX, o país atraiu muita mão-de-obra estrangeira, que veio enriquecer este caldeirão de raças. Ribeirão Preto começou por receber italianos e japoneses, sendo também expressiva a chegada de sírio-libaneses.

Estas comunidades carregaram as suas influências culturais e gastronómicas, o que explica as mais duas dezenas de restaurantes japoneses na cidade e a abundância de massas em todos os restaurantes. Por falar em massas, não posso deixar de elogiar o “fettucine ao molho shitake” que se come no Mousse Cake, sendo imperdoável esquecer as suas sobremesas (vai uma mousse de chocolate Lindt?)
O Jardim Japonês homenageia a força da comunidade
nipónica de Ribeirão.

Voltando à comunidade nipónica, esta será mesmo uma das mais marcantes do país, o que se reflete na popularidade do sushi e do yakisoba (massa também comum na cozinha chinesa) e explica a longevidade do Festival Tanabata, que se realiza em Ribeirão há 18 anos. Mas acerca da gastronomia japonesa não me vou alongar mais, até porque ainda estou a aprender a apreciar.
E por hoje vos deixo, espero que com água na boca.

You May Also Like

3 comentários

  1. Ainda bem que li isto depois do jantar... realmente de abrir o apetite!

    ResponderEliminar
  2. Água na boca... estou "babando" pela picanha!!! =)
    Bjks!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Seja bem vinda Simone, sua visita me deixou muito feliz!
      Beijinho

      Eliminar

«Viajar torna uma pessoa modesta – vê-se como é pequeno o lugar que ocupamos no mundo.» (Gustave Flaubert)

Obrigada por ler as minhas aventuras e ainda gastar um momento para comentar. A sua presença é muito importante para mim. Um abraço e até breve!