Afonso foi à feira

by - 13:39







Desculpem o trocadilho do título, mas já explico tudo, tudo. Como vocês sabem (ou pelo menos a maioria) eu moro em Guimarães, cidade que é considerada o berço da nação portuguesa. Porquê? Porque foi aqui que um mero nobre, de seu nome Afonso Henriques, se auto-nomeou rei, conseguiu a aprovação do Papa, que era autoridade máxima naquela altura, e resgatou o pequeno Condado Portucalense, das garras de Castela e Leão.

Parece uma novela, mas foi isso que aconteceu, mais ou menos desvio histórico, e assim nasceu este pequeno país corria o século XII. Há mesmo um pedaço da muralha da cidade que orgulhosamente ostenta o slogan Aqui nasceu Portugal!



Ainda há portugueses zangados com o D. Afonso Henriques, o nosso primeiro rei, porque senão fosse ele hoje eramos todos espanhóis. Depois ainda veio muita batalha, especialmente contra os mouros, até se conquistar todo o território nacional, que aliás é bem pequenino.

Não sei se seria mais feliz por nascer espanhola (na verdade nem nasci em Portugal, apenas tenho nacionalidade). É verdade que os nuestros hermanos viveram sempre mais folgados, melhores ordenados e tal… mas também estão a passar um mau bocado com a crise.


Uma escultura do primeiro rei de Portugal, muito avant-garde, não acham?


Mas deixemos as lamúrias, que isso é típico de português. Falo do D. Afonso porque ele inspira um evento anual muito interessante chamado Feira Afonsina, que recria os costumes daquela época, das profissões à música, passando pela parafernália militar habitual e os trajes, claro. 




A Feira Afonsina decorreu este fim-de-semana mas como ando assoberbada de trabalho, apenas tive oportunidade para um pequeno passeio e, com muita pena minha, não consegui assistir ao Baile Real (que deve ter sido algo especial). Assim, aqui fica o meu modesto registo deste acontecimento que lembra os vimaranenses que aqui nasceu um Afonso muito famoso. 







Achei particular piada ao beco das desgraças: “habitat dos larápios, dos pedintes, das meretrizes, dos loucos e dos empestados... A esterqueira, os objectos de tortura, o pequeno altar dos renegados, as padiolas, o carro dos cadáveres, os baldes de água de lavar feridas, são elementos fortes deste quadro vivo”. Só a descrição impressiona, devia ser mesmo a zona perigosa da cidade. E não é que descobri que existe ali perto uma rua chamada Viela dos Açoitados? 





E o vosso fim-de-semana que surpresas vos trouxe?




You May Also Like

12 comentários

  1. Olá!!!

    Mais história de nossa terrinha querida!

    Ruthia.... vou ficar te esperando numa blogagem coletiva. É só fazer o post e seguir o passo a passo... pode me perguntar que te explico tudo! BC de esmaltes é todo sábado e vc é muito bem vinda!

    Beijos, ótima semana!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um dia destes prometo participar, desde que o tema tenha algo a ver com O Berço do Mundo. Beijinho querida

      Eliminar
  2. Interessante isso! E a feira afonsina, muito legal!Que bom ver de perto tudo isso,né? Um lindo fds! beijos e aqui não fiz nada diferente, pois a chuva não deixou,sr

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Logo, logo, a chuva aparecerá deste lado do Atlântico... e lá teremos os livros, um bom filme, quem sabe uma lareira e um cálice de vinho do Porto para nos fazer companhia :)

      Eliminar
  3. nossa que aula de história...meu final de semana foi triste por causa da forte chuva que caiu e nos deixou todos em casa. mas tb foi feliz por estarmos todos bem e com saúde. amo essas lindas aulas de história que nos traz! bjs desejando ótima semana
    tititi da dri

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Adriana é sempre tão generosa comigo. Neste caso nem sequer fiz "trabalhos de casa", porque ando com muita falta de tempo, mesmo. E a menina com o gatinho, gostou? Achamos super fofo...
      Beijinho e boa semana

      Eliminar
  4. Boa Tarde.
    Embora faz algum tempo ,que estou atrasada com minhas visitas.
    Hoje foi um dia muito especial chegar no seu blog,poi nunca havia lido nada referente a esse pedaço lindo de Portugal.
    Eu tenho verdadeira paixão por Portugal parece um pedacinho do céu
    sua postagem.
    Um lugar belíssimo sem dizer a aula de história ,que li referente a seus Pais.
    Desejo una linda semana beijos,Evanir..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida, a vida é uma correria, o tempo não chega para tudo. Apareça quado tiver oportunidade. E já que gosta de Portugal, aqui lhe deixo links para outras postagens sobre diferentes pontos do meu país.
      Sabe, eu tb sou apaixonada pelo seu (morei aí em 2011).

      Então aí vai:
      http://bercodomundo.blogspot.pt/2012/03/penha-garcia-uma-viagem-de-500-milhoes.html

      http://bercodomundo.blogspot.pt/2012/04/cidadela-de-granito-nuvens-de-chumbo-e.html

      http://bercodomundo.blogspot.pt/2012/08/in-end-of-world.html

      Mil beijos

      Eliminar
  5. Ruth,que linda essa história do D.Afonso!Se estivesse por aí,iria agradecer a ele,pois ser portugues é maravilhoso,adoro os portugueses,tenho avós portugueses e muitos parentes por aí!Adorei as imagens e a feira!Que beleza de festa!Tudo muito lindo!bjs e meu carinho,

    ResponderEliminar
  6. Muito bonita a festa afonsina!!!
    O meu fim-de-semana foi chatito, veremos o próximo ;)
    Beijinhos e bom dia!
    Madalena

    ResponderEliminar
  7. Querida Ruth,

    Gostei muito de ler este artigo, porque meu pai era tambem de Guimaraes, alias, a familia é de lá e tambem de Braga. Ele sempre contou sobre Afonso Henrique, alem de outras curiosidades historicas.

    Voltarei mais vezes, quero ver as novidades!

    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Seja muito bem vinda, Sissym. Quase todos os brasileiros têm uma costela portuguesa ou europeia, não é verdade?

      Tem por aí uns posts sobre Braga, se tiver curiosidade:
      http://bercodomundo.blogspot.pt/2012/05/em-braga-se-romano.html
      http://bercodomundo.blogspot.pt/2012/05/bolo-romano-e-outros-pecadilhos.html

      Prometo mais algumas histórias da região, daqui a algum tempo. Beijinho

      Eliminar

«Viajar torna uma pessoa modesta – vê-se como é pequeno o lugar que ocupamos no mundo.» (Gustave Flaubert)

Obrigada por ler as minhas aventuras e ainda gastar um momento para comentar. A sua presença é muito importante para mim. Um abraço e até breve!