Templos do Mundo 3: a humildade de um rei

by - 10:59


Contrastando com a majestade dos primeiros monumentos destacados nesta rubrica dos Templos do Mundo (revisite a Catedral de Santiago de Compostela e a Igreja de S. Ildefonso aqui e aqui), hoje trago até vocês, queridos leitores, uma humilde capela, pequena, despida, singela.


© guimaraes-me.blogspot.com


Chama-se Capela de S. Miguel do Castelo, ou simplesmente Capela de S. Miguel, é monumento nacional desde 1910 e fica na minha querida cidade – Guimarães.

Construído no século XII, este simples templo românico carrega um forte simbolismo: reza a lenda que aqui foi baptizado D. Afonso Henriques, o primeiro rei de Portugal. Já vos falei nele, lembram-se? (feira afonsina aqui).

Quem entra depara logo com a grande pia baptismal à esquerda, até porque a capela está praticamente vazia, talvez para destacar os túmulos dos guerreiros, que ocupam praticamente todo o piso, e que estarão ligados à fundação do reino de Portucale.

O seu aspecto clean, minimalista se quisermos, destaca-se nesta Colina Sagrada, também conhecida como Monte Latito, onde fica igualmente o Castelo, o monumental Paço dos Duques de Bragança e a estátua emblemática do D. Afonso Henriques, empunhando a espada que, dizem, pesava mais de 15 kg (mas quem conta um conto…)



© arpose.blogspot.com



Mas existem outras representações do nosso primeiro rei, a quem Fernando Pessoa dedicou as seguintes estrofes: Pae, foste cavalleiro. / Hoje a vigilia é nossa. / Dá-nos o exemplo inteiro / E a tua inteira força!  De qual gostam mais?

E porque fui à cidade-berço neste fim-de-semana passado – como alguns de vocês sabem, aceitei um novo desafio profissional no interior do país – trouxe mais uma lembrança para matar as saudades: as tortas de Guimarães

Gulosa!










You May Also Like

15 comentários

  1. A foto aérea está linda. A pequena capela rodeada do castelo do rei e do castelo da rainha. Lembro-me da primeira vez que aí me levaste.
    Manda umas tortas por correio.
    Beijo enorme com saudades.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida, as que vieram (tortas) já marcharam, como deves calcular :) E a tua mãe gostou delas? Nunca me chegaste a contar...

      E por falar na capelinha, não deixaste lá um pingamor?
      Beijinho e saudades

      Eliminar
  2. Lindíssimos e são um passeio e tanto, como cultura. aprendizado. E a torta de Guimarães parece ser boa!! beijos,chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É uma bomba calórica de chila e doce de ovos, querida Chica. Muito má para quem sofre de colesterol como o meu marido...
      Beijo querida Chica

      Eliminar
  3. Olá... nossa, que fotos lindas!!!
    Deve ser todo um mistério entrar dentro dessas igrejas... imagina o que já aconteceu lá dentro?

    Querida, respondendo ao seu comentário sobre meu conto... amanhã continua e acho que vai até sexta, se der pra terminar a história... ainda não sei se vai dar ou se vou alongar mais um pouco.

    Uma ótima semana pra vc!
    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não vou perder os próximos episódios da sua história :)
      Beijo

      Eliminar
  4. Ruthia, visitei Guimarães há tempos e a sua bonita e interessante Capela de S. Miguel. Esse monumento tem uma alma...
    Soube contar maravilhosamente e até fazer sentir aquela aura que atinge o visitante.
    Ai as tortinhas! ;)
    Beijinho
    Dulce

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Embora já tenho morado em muitos lugares, regresso sempre a Guimarães, não só porque tenho lá mãe, irmã, mas porque elegi esta como a minha cidade, o meu lar se quiser. Tanto a Colina Sagrada como muitas praças históricas da cidade têm um "genius locci" muito especial... ou é o coração que influencia a minha visão!

      Eliminar
  5. lindo lugar...a capela nos remete a paz...e o castelo, ah! como gostaria de conhecer um...entrar e respirar o ar de todos os cômodos, saber a história, sentir os fantasmas de reis e rainhas que por ali passaram e viveram seus momentos de glória e de tristeza também....quem sabe um dia eu seja abençoada com a oportunidade de voltar a Europa e conhecer - e viver - um pouco mais dessa cultura que me fascina!
    Bom, as tortas parecem serem maravilhosas... deu vontade de provar... mas como estou em recesso alimentar e em guerra contra a balança. é melhor ficar só na vontade mesmo!
    bjs querida amiga e novamente obrigada por mais essa aula de história e cultura!
    tititi da dri

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se vieres, eu serei a tua guia por Guimarães, Braga, Porto, zona do Douro.... vais amar.
      As mulheres e as balanças não é? Mas um pecado de vez em quando só fazem bem à alma :)

      Eliminar
  6. Eu adoro capelas e, inclusive me casei em uma!Lindas demais as fotos desse lugar,Ruthia!Quanto aos cavaleiros e seus desenhos,fico com o primeiro!...rss...bjs e meu carinho!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O primeiro desenho do rei é mesmo lindo. Boa escolha! Beijinho

      Eliminar
  7. Guimarães é mesmo uma cidade lindíssima! Pena que quando fui, não visitei esse local!

    beijoss

    www.isared.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  8. Essas tortinhas Guimarães me lembra os nossos croissants rs, yummuy :D
    Adorei conhecer mais uma cidade histórica, eu gosto tanto de castelos rs!!
    Quando fui a Toledo, na Espanha, amei d+ ^^

    Beijos

    lolaporlola.blogspot.com

    Instagram: stephanieparizi

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida, as tortas são em tudo diferentes dos v/ croissants. A massa é muito mais forte e o recheio tem chila (um tipo de abóbora em fios) e doce de ovos. Uma bomba calórica.
      Este castelo e esta cidade têm um significado especial, porque a partir daqui nasceu Portugal enquanto país. Se quiser ver a explicação (que saiu na sua fase offline):

      http://bercodomundo.blogspot.pt/2012/09/afonso-foi-feira.html
      Mil beijos

      Eliminar

«Viajar torna uma pessoa modesta – vê-se como é pequeno o lugar que ocupamos no mundo.» (Gustave Flaubert)

Obrigada por ler as minhas aventuras e ainda gastar um momento para comentar. A sua presença é muito importante para mim. Um abraço e até breve!