Sol, formigas gigantes e outros exageros

by - 08:24


Pode até ser um dos berços da república, ter um passado histórico invejável e uma paisagem natural fantástica, mas Itu será sempre recordada como a Capital brasileira do exagero




Pensei que o capítulo “Brasil” estava encerrado – afinal já regressei a Portugal há mais de um ano. Mas as temperaturas que se fazem sentir por estes dias no interior do país, fizeram-me regressar às imagens da pátria de Drummond de Andrade, com saudades do sol e do calor.

Cinco graus negativos é a temperatura mínima para hoje em Pinhel, distrito da Guarda, a pouco mais de 30 quilómetros da fronteira com Espanha, onde estou a trabalhar há alguns meses. Conseguem avaliar o sofrimento de alguém concebido nos trópicos?

Fujamos então do frio, de volta ao estado de S. Paulo, onde passei momentos maravilhosos. Estamos em Itu, no Camping das Pedras, basta cobrir o biquíni com um vestido colorido para ir tomar o pequeno almoço (o café da manhã tem bolo de fubá e pão de queijo, hmmm). 





O parque não fica longe da cidade, mas a natureza rodeia-o de tal forma que parece que estamos no meio do nada. Só se ouvem os pássaros e as gargalhadas das crianças na piscina. Alugamos um chalé porque já passamos do tempo em que dormíamos no chão e acordávamos cheios de energia...

Começar o dia com uma caminhada ou um passeio a cavalo? A segunda opção parece-nos bem, até porque nos garantiram que os animais são calmos. O meu cavalo castanho é realmente pachorrento, quase quase um burrinho… ainda que se desvie do caminho de quando em vez, para pastar. Vou-lhe fazendo a vontade, porque este passeio é feito com todo o tempo do mundo.







Dali rumamos à piscina, porque o calor começa a apertar, onde preguiço ao sol depois de um mergulho. Escolhemos a piscina sem escorregas, muito mais calma a esta hora da manhã. À tarde haverá tempo para um jogo de futebol, onde os casados serão dizimados pela equipa dos solteiros, e um torneio de voleibol para os mais enérgicos.

Eu fico-me pela assistência, a animar os jogadores, porque já tive drama suficiente no campo de futebol, quando tentei apanhar uma bola com o peito. Também não foi nenhuma tragédia grega, mas eu voei numa direcção e os meus óculos noutra.




Mais um dia e o programa é um pouco mais do mesmo: piscina (desta vez arrisco no tobogã e o meu pequeno explorador no escorrega da piscina infantil), carnes grelhadas com salada ao almoço, sesta na relva, mais um passeio a pé, conversa boa… Três dias são suficientes para me pespegar um tom doirado à pele.

O único senão? Os “pernilongos” não me largam, apesar das camadas de repelente com que me unto.





Itu, terra de exageros

A história dos exageros começou na década de sessenta quando Simplício, um famoso humorista natural de Itu, fez sucesso na televisão com a sua personagem caipira. À arrogância dos citadinos, que enalteciam as virtudes da capital, Simplício contrapunha dizendo que na cidade dele tudo era maior, em escalas estratosféricas. 


© revistaregional.com.br


Segundo ele, um ovo de codorniz de Itu era do tamanho de um ovo de avestruz; a pulga era vendida numa gaiola e parecia uma abelha; o chapéu local seria o único capaz de abrigar “do sol de Itu, o maior do mundo”; o cachorro-quente e os gelados tinham meio metro de comprimento; para atravessar um restaurante era necessário uma moto…

A cidade achou graça e respondeu com uma cabine telefónica (um orelhão) com sete metros de altura e um semáforo com o dobro do tamanho normal (que funciona), na Praça da Matriz. Depois criou o “Parque do Exagero” onde tudo é grande: o jogo de xadrez, duas formigas e outras tantas joaninhas gigantes, o escorrega… 


Alguns dos exageros de Itu, incluindo os "lembranções" da cidade.



Coincidência ou não, Auguste de Saint-Hilaire, um naturalista francês que visitou a região no século XIX, dizia na sua obra Viagem à Província de São Paulo e Resumos das Viagens ao Brasil, que "as romãs dos arredores de Itu são as melhores de todo o país e que as cebolas ali atingem extraordinário tamanho". 

As cebolas não as vi, mas tudo o resto posso comprovar que existe... Sem exageros, está um frio de rachar agora que aterrei de volta à realidade. Vou preparar um chá!




You May Also Like

19 comentários

  1. Vivo mesmo encostadinho à Serra da Estrela, daí entrar por completo no espírito desta excelente crónica.
    O chá, a findar, vem mesmo a propósito.

    Beijo :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Somos quase vizinhos! Sirva-se de uma chávena, caro amigo :)
      Um abraço

      Eliminar
  2. Que legal. Nunca fui lá, mas deve ser mesmo interessante a visita! beijos,lindo dia!chica

    ResponderEliminar
  3. lindo e poético post querida amiga.... tu és realmente especial, consegues tirar poesia, com bom humor, seja onde for..... adoro ler teus posts e estou me deliciando com teu livro, se bem que ainda nas primeiras páginas...
    bjs desejando a vocês uma ótima semana...
    aqui, hoje está bem agradável (ainda) coisa de 25º... porém, se o sol aparecer entre as nuvens, o calor e a sensação de bafo - tamanha umidade do ar - tornam qualquer saída a rua um martírio...cuja sensação térmica fica acima dos 40º
    bjs
    tititi da dri

    ResponderEliminar
  4. Itu é tudo grande mesmo rs, eu tirei foto no orelhão, com o lápis, no banco hahaha, tudo que quem está turistando e passeando faz :D
    Que delícia amo cavalos, o passeio deve ter sido muito agradável querida!!!
    Beijos,

    lolaporlola.blogspot.com

    Instagram: stephanieparizi

    ResponderEliminar
  5. Brrrrr, que frio!!!
    Post delicioso! Fiquei desejosa de visitar Itu ou, pelo menos, de ir até aos trópicos (suspiro)...
    Beijinhos e um bom dia!
    Madalena

    ResponderEliminar
  6. Olha prima, o calor está tanto aqui, que eu trocaria de lugar com você ...
    Adorei recordar de Itu. Lindo texto, lindas imagens, lindas recordações !!!
    Saudade de todos !!!!
    Bjuuuu
    Marli Branquinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Marli, eu alinho nessa troca... Quando pode ser?? :)
      Beijinho com muitas, muitas, saudades

      Eliminar
  7. Tenho vontade de ir a São Paulo e me interessei grandemente por Itu :)
    E essa história dos exageros me deixou com vontade de visitar o 'Parque dos Exageros'

    ResponderEliminar
  8. Ruth,que delicia de passeio! Estive em Itu há muitos anos mas me lembro desses objetos grandes,exagerados!Vc é muito bonita e sua familia tb!Belas fotos!Bjs e bom friozinho por aí!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anne querida, obrigada pelo carinho, mas acho que a beleza está nos olhos de quem vê. Sou é muito feliz e acho que isso transparece no meu sorriso.
      Beijinho

      Eliminar
  9. Que lugar lindo, Rithiap... e Itu é exagerado. Não conheço, ainda!

    5º negativos não deve ser fácil não! Largas as cobertas de manhã deve doer muito....

    Beijos, querida e lindo fim de semana!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A casa está quentinha, por isso levanto-me da cama com facilidade até porque sou madrugadora. Agora sair de casa já é outra história...
      Beijinho, um doce fim-de-semana para ti também

      Eliminar
  10. Ruthia,
    É bom por vezes, o exagero!
    No entanto, não vou exagerar se digo que, mais uma vez, me fizeste viajar.
    Um abraço.

    Em resposta à tua pergunta no meu cantinho: não era uma lembrança, mas algo muito actual...

    => Crazy 40 Blog
    => MeNiNoSeMJuIz®

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem que o meu coração me avisou que algo não estava bem contigo. Só te posso enviar a minha amizade e as minhas preces. O tempo cuidará do resto... Força querida!

      Eliminar
  11. Uma bela matéria sobre nossa cidade aqui no Brasil!
    Grata!


    Beijos

    ResponderEliminar
  12. Ai que lindo! Que saudades do calor, que vontade de voar até ao Brasil maravilhoso.Mas já ficarei muito feliz se, este ano, puder ir até ao Algarve, também é um encanto e sempre fica "mais à mão" ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito mais à mão mesmo. Se calhar ainda nos cruzamos por lá (no Algarve, quero eu dizer). Muitos beijinhos

      Eliminar

«Viajar torna uma pessoa modesta – vê-se como é pequeno o lugar que ocupamos no mundo.» (Gustave Flaubert)

Obrigada por ler as minhas aventuras e ainda gastar um momento para comentar. A sua presença é muito importante para mim. Um abraço e até breve!