A cidade dourada

by - 23:43


Universal, magnífica, sábia, jovem e dourada. Saiba porque Salamanca merece tantos e tão rasgados elogios




Vencemos com serenidade os 120 quilómetros que nos separam de Salamanca, na região de Castilla y León, desde a fronteira portuguesa.

A manhã está linda e ensolarada, os pássaros celebram a chegada da Primavera (finalmente) rasgando os céus em alegres volteios acrobáticos. As cegonhas mostram-se atarefadas, carregando gravetos para uns últimos retoques nos ninhos, os campos estão salpicados de papoilas atrevidas.

Há nove anos que não punha os pés em Salamanca. Quando as cúpulas das catedrais anunciam a cidadela lá no topo, ainda a alguns quilómetros de distância, relembro-me porque ficou marcada de forma tão vibrante na minha memória.


A cidade tem muitos rostos, todos eles magníficos. Comecemos pela douta Salamanca, onde nasceu a primeira Gramática da língua castelhana…













“Una de las cuatro luces que alumbran al mundo”
Papa Alexandre IV, sobre a Universidade de Salamanca
Aqui fica a Universidade mais velhinha de Espanha e uma das mais antigas da Europa (1218), para onde afluem milhares de estudantes de todo o mundo: isso explica porque adjectivam a cidade de jovem e porque as noites salmantinas são tão badaladas.
Desta instituição podia destacar os cérebros brilhantes que pariu, os ilustres reitores que teve (Unamuno entre eles), mas nunca podia olvidar a belíssima fachada, com a célebre rã da sorte. Uma rã?
Por supuestoa dita está esculpida sobre um crânio e, segundo a tradição, garante ao estudante que a descobrir, no meio do delírio artístico, boa sorte nos estudos.


Conseguem ver a rã? Na coluna do lado direito, no fim do primeiro friso.
 


Anfíbios aside, é impossível não admirar o belo frontispício plateresco - estilo típico do Renascimento espanhol - do século XVI, em plena praça das Escuelas Mayores.

Outra interessante história académica diz respeito aos Vítores (da expressão latina para vitória), inscrições em paredes públicas feitas pelos estudantes que concluem o seu doutoramento. Em tempos idos usava-se sangue de um touro, sacrificado para comemorar tal conquista… Ainda hoje é possível, em algumas das paredes seculares, observar as pinturas que teimam em resistir ao tempo.

Tudo de nariz no ar, à procura da rã da sorte.


Pequena Roma
Deslumbro-me agora perante a sua espantosa face monumental: a cidade possui 2 catedrais, 23 igrejas, 5 conventos, 12 casas monumentais, 5 "colégios" universitários históricos e 9 palácios ou edifícios apalaçados (oh riqueza)!
Uma herança que lhe valeu o título de Património Mundial da Unesco (1998), contribuiu grandemente para a sua escolha como Capital Europeia da Cultura em 2002 e explica porque lhe chamam a “pequena Roma”.



Vista do interior da Casa das Conchas, onde funciona a Biblioteca Pública,
para La Clerecía em frente.




Um dos meus edifícios favoritos é a Casa das Conchas, num vértice da Rua Mayor, com uma fachada inusitada. Mais de 300 conchas que enfeitam as paredes. Uns dizem que são jacobinas, isto é, honram a Ordem de Santiago.

Eu prefiro a versão mais romântica. Segundo esta corrente, a casa é um poema de amor - a repetição do símbolo dos Pimentel reflecte o carinho de D. Rodrigo pela esposa. Não imagino um espaço mais digno de uma Biblioteca Pública do que este edifício gótico…

O entardecer é um momento mágico em Salamanca, sobretudo junto às margens do rio Tormes, onde se vê o sol transformar em ouro o material com que se construiu a cidade: a pedra de Villamayor. Eis porque Salamanca é também a Cidade Dourada!


Descubram a Plaza Mayor, do post anterior, 
neste vídeo fantástico.



You May Also Like

17 comentários

  1. Rica em belezas, detalhes, história! Sensacional teu post e te ler é aprender! beijos,chica

    ResponderEliminar
  2. Adorei revisitar a cidade por aqui :) Esta cidade marcou-me sem dúvida por a ter explorado sozinha com um mapa :) e sem me perder!! ahahahhah :)
    Obrigada por este bocadinho :)

    http://hiimab.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  3. Bela e imponente Salamanca!!! Já lá estive, mas também há muitos anos.
    Bela e imponente Ruthia, os cogumelos vão crus para o forno e são aí cozinhados ;)
    Beijinhos, boa quarta!

    ResponderEliminar
  4. ai Ruthia, com esse teu tom poético, me trazes um banho de cultura para alimentar minha alma!
    obrigada querida amiga por mais essa viagem maravilhosa!
    bjs
    tititi da dri

    ResponderEliminar
  5. Linda muito linda embora nem em sonho
    pude um Dia fazer a viagem sonhada para Europa .
    Fico feliz mesmo assim saber que existe encantos
    imponentes por todo esses mundo.
    Linda noite beijos,Evanir.

    ResponderEliminar
  6. Um lugar meio mágico,que transmite muita paz!Que lindas ficaram as fotos!bjs,

    ResponderEliminar
  7. Ruthia nunca viajei para fora do Brasil mas através de amigas virtuais como você tenho conhecido bastante deste mundão de nosso Pai. Adorei Salamanca, muito linda a postagem e o vídeo também muito belo, beijos Luconi

    ResponderEliminar
  8. Ruthia nunca viajei para fora do Brasil, mas através de amigas virtuais como você tenho conhecido um bocadinho deste mundão do Pai, gostei muito do que foi mostrado de Salamanca e tua forma de escrever é deliciosa, parabéns beijos Luconi

    ResponderEliminar
  9. Salamanca é um lugar fantástico!! Me arrependi de não ter ido enquanto morava em Madrid :(
    Adorei as fotos, fofa a primeira!!!!
    Beijos Té
    lolaporlola.blogspot.com

    Instagram: stephanieparizi

    Ps: sabe maquiar?! Então venha participar da nova TAG do Lola! ^^

    ResponderEliminar
  10. Ruthia, minha querida
    Salamanca é uma cidade fabulosa, "de encantos mil", carregada de história e de magia.
    Já lá fui algumas vezes (até já lá apanhei uma multa de estacionamento:))), que não paguei!), e há sempre algo que fiquei por ver da última vez que se esteve lá.
    As fotos estão óptimas, e a primeira... uma fofura só!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem razão, um dia não chega para ver tudo. Não tive tempo para contemplar o famoso cielo de Salamanca, na Biblioteca das Escolas Menores, nem o Museu de Art Noveau. E também fica para a próxima visita o Convento de Duenas (estava fechado) com os doces conventuais....
      Mas ainda tenho algumas coisas para mostrar, nos próximos dias.
      Beijinho

      Eliminar
  11. Ruthia
    Que lugar incrível! E que bacana você voltar nove anos depois. Ainda não conheço a Espanha. Espero um dia visitar este país com cidades misteriosas...
    Um beijo

    ResponderEliminar
  12. Qerida passando para lhe desejar um ótimo fim de semana :D

    Beijos Té
    lolaporlola.blogspot.com

    Instagram: stephanieparizi

    ResponderEliminar
  13. Já fui a Salamanca umas 3 ou 4 vezes.
    É muito interessante e vale mesmo a pena.
    Fizeste uma excelente reportagem (só a jornalista é que se vê muito mal... eheheh...).
    Tem um bom fim-de-semana, querida amiga Ruthia
    Beijo.

    ResponderEliminar
  14. Ruthia querida, delicio-me com a forma com que voce narra suas viagens. Explicado o sucesso como escritora :)
    Tenho muita vontade de fazer uma viagem em Espanha e Portugal, conhecer estes lugares que voce nos mostra aqui no blog. Quando eu for a Salamanca, vou procurar a ra (o anfibio, é que nao tem o til no teclado italiano) no meio das outras esculturas. Muito interessante!
    Beijinhos e bom fim de semana

    ResponderEliminar
  15. Muito interessante... teu jeito de falar sobre a cidade e seu modo de olhar as coisas, torna a cidade ainda mais interessante.. a gente fica de verdade com vontade de visitar.. boa semana..

    ResponderEliminar

«Viajar torna uma pessoa modesta – vê-se como é pequeno o lugar que ocupamos no mundo.» (Gustave Flaubert)

Obrigada por ler as minhas aventuras e ainda gastar um momento para comentar. A sua presença é muito importante para mim. Um abraço e até breve!