Olé!

by - 11:25





 
 
 
 
 
 
 
 
 
 


 
Sabem que viver no interior deste país, esquecido e ostracizado como tantos apregoam e com boa dose de razão, também tem vantagens? A proximidade com a comunidade, uma rotina calma, quase sem trânsito e poluição…
Sim, sinto falta de uma galeria de arte, de uma Biblioteca digna desse nome, de tanta coisa. Hoje, por exemplo, comia uma bela francesinha! Mas esta vida é curta para nos focarmos demasiado nas coisas menos boas.
Vocês, amigos e leitores d’O Berço, têm lido as minhas aventuras neste cantinho de Portugal (esta é uma oportunidade que não podia desperdiçar), pelas aldeias históricas da Beira Interior – Almeida, Castelo Rodrigo, Sortelha, Marialva, Castelo Mendo - e outros destinos menos conhecidos do nosso lindo país.
 
Castelo do Sabugal
 
Recordam o Museu Cargaleiro, em Castelo Branco, num ventoso dia de Inverno? E a busca de um menir desaparecido, onde “Judas perdeu as botas”?
E nestas deambulações conheço sabores diferentes (gulosa) como as sardinhas doces de Trancoso, que um dia destes vos apresento, e tradições engraçadas, bizarras ou simplesmente diferentes.
Uma delas, até há pouco tempo desconhecida para mim, é a capeia arraiana, bem típica ali para os lados do Sabugal e outras zonas raianas, como se chama às terras próximas da fronteira com Espanha. O gosto pelas touradas, felizmente cada vez mais contestadas, ainda corre nas veias de muitos portugueses.
 

Pessoalmente, não aprecio nada. O sofrimento do animal perturba-me sobremaneira. Mas nesta tourada, a capeia arraiana, o touro não é picado e ferido. Valha-nos isso!
Uma trintena de homens enfrenta o touro escudado por um forcão, feito de ramos de árvores. Um duelo de força que dura até uma desatenção do animal. Então, os homens desafiam o touro individualmente, obrigando-o a correr em todos os sentidos, para o cansarem e desorientarem, até o conseguirem agarrar e dominar. Depois libertam-no.
Resumindo, trata-se apenas de humilhar um animal que se orgulha da sua força. Uma mera questão de virilidade!? O que acham desta tradição, que até está registada como “património imaterial” no inventário do Instituto dos Museus?
Como não tenho estômago para assistir a touradas, deixo-vos outras imagens, a meu ver mais belas, da pequena cidade do Sabugal com o seu castelo e as suas casinhas de xisto, resultantes de uma visita fugaz.
 





 


 

You May Also Like

31 comentários

  1. Como morei em Madrid, fui assistir uma tourada contra minha vontade, mas fui!!
    É incrível como eles vibram e torcem para que o pobre do touro morra. Cada vez que o toureiro errava, eu gritava de felicidade, até me olharam feio..mas enfim, é coisa de cultura, né?!
    Beijos,

    www.bloglola.com.br

    Instagram: stephanieparizi

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hehe, imagino a cena, Té. Quase linchavam a menina brasileira, que torcia pelo touro...
      Bjoca

      Eliminar
    2. Bom dia,
      Eu acho importante responder às críticas sobre as touradas que foram feitas aqui. Para começar as capeias arraianas são uma tradição antiga como as outras touradas e nestas o touro não é humilhado como disseram, neste caso é o animal que investe e não são os homens que "se vão meter" com o touro. Depois se formos ver as restantes touradas a situação não é assim tão grave porque o animal é morto mas há matadouros com condições muito precárias em que o sofrimento do animal é equivalente. Para além de tudo isto as touradas são um espetáculo e que move muitas pessoas com empregos relacionados com as touradas que iriam para o desemprego se as touradas acabassem (isto em tempos de crise). As touradas são muito importantes como cultura e como fonte de emprego! Quem não gosta não veja.

      Eliminar
  2. Pessoalmente, acho essas criaturas umas bestas cobardolas e alivia-me que sejam uma minoria, provavelmente em extinção!
    Hoje está um belo dia para um passeio, ainda que chova (vai-se de carro!).
    Beijinhos, bom domingo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O comentário mais forte e incisivo que já te li! Concordo contigo. O meu domingo não terá passeios porque sou oradora numa palestra esta tarde (infelizmente).
      Beijinho e um bom passeio

      Eliminar
  3. Não gosto de usar “copy & paste”, mas a necessidade a tal me obriga.
    Recorro a este sistema porque é a única hipótese que tenho de agradecer, atempadamente, a todos que me acompanharam e dispensaram o seu o carinho numa data para mim tão importante. Não tem a mínima importância que alguns de vós não tenham vindo no próprio dia. No dia seguinte ou nos seguintes tem, para mim, igual valor. A vossa amizade é-me preciosa, SEMPRE.
    Como se mete agora um fim-de-semana comprido (feriado dia 10 de Junho - «Dia de Portugal»), só na próxima semana começarei a visitar cada um separadamente. Mas não deixarei de o fazer a todos.
    Entretanto deixo um GRANDE “Obrigada”!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Lindo te ler, mas tourada também não acho nada interessante. É revoltante! Dá vontade de ver invertidos os papéis. Queri ver!! beijos,tudo de bom, linda semana,chica

    ResponderEliminar
  5. Ruthiamiga

    Bravooooo!!!!!! Excelente post, magníficas fotos e afirmações muito corajosas. Concordo contigo! E com o M. Também! É de homem!!! Tu, querida Ruthia és mesmo bué da fixe!!!

    Já há montes de séculos que não me visitas~, não dás um salto à nossa Travessa.. Porquê? Ofendi-te? Insultei-te? Injuriei-te? Tratei-te mal? Não o fiz por certo! So, why?

    Qjs

    Henrique

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh, Henrique. Não é nada disso. Quase nem tenho tempo para actualizar O Berço, que fará para visitas diárias aos amigos. E de vez em quando apareço por lá, só que nem sempre comento. Não leve a mal.
      Beijoca

      Eliminar
  6. Também prefiro o castelo, as ruas, os verdes..... não gosto de nada que envolva animais e que os faça sofrer, seja de que jeito for....
    Amiga, não vou ao show por que é em uma cidade que dista coisa de 130km daqui...e não temos como nos ausentar um dia inteiro em função do jornal.... sem contar que é difícil dormir fora, qdo se tem cachorro em casa e pais já com uma certa idade para se olhar..para completar, meu pai se estatelou no chão ontem e quebrou a clavícula está de resguardo em casa, e tenho que ajudar minha mãe a cuidar dele... e como ela não dirige, viro a motorista, a office girl...e por ai vai.... bjs desejando ótimo final de domingo e uma semana esplendorosa!
    tititi da dri

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As melhoras para o teu pai, as quedas a partir de certa idade não são nada boas notícias. Força e energia. Um beijinho para a sua mãe também e paciência para as duas. Homem doente, é fogo :)

      Eliminar
  7. os grandes eventos, as referências arquitetônicas, todos conhecemos... mas esses cantos, essas histórias, apresentadas de um jeito que é como estar perto... visitar seu blog é de fato visitar ao mundo...

    ResponderEliminar
  8. Olá Ruthia, mais uma vez gostei do teu post. Eu não gosto que humilhem ou torturem os animais mas confesso que de certa forma reconheci e vi beleza numa tourada que vi há muitos anos no Ribatejo... As posturas dos forcados, os barulhos das plateias, as brilhantinas das roupas dos toureiros...Foi bonito e sei de muita gente que cria cavalos, manadas, tem cães, gatos e afins que faziam ou viam a tourada como um espectáculo ou coisa única no ano. Por isso acho que vai existir sempre as duas formas de ver a tourada como arte ou como acto de violação contra os animais. Humilhar ou matar um animal deveria ser julgado então da mesma forma: se um é crime não entendendo porque o outro deve ser considerado como património imaterial.
    Uma das coisas que são também marcadas e interessantes na nossa cultura e folclore são as cantigas populares onde normalmente um português se apaixona por uma "arraina" e lhe pede para não ser mais espanhola. Bonito de ouvir...acredita!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida, sei que este não é um tema consensual.
      Sim, é um espectáculo que envolve toda uma economia e um estilo de vida por detrás. Sei, respeito, mas não entendo esta necessidade humana de sempre subjugar o outro, seja o vizinho, ou o animal que partilha o mesmo planeta...

      Se foi inscrito como património imaterial há séculos, não quer dizer que não possa ser mudado?! As mentalidades mudam.
      Antigamente davam "sopas de cavalo cansado" (migas de vinho) às crianças ao pequeno-almoço, mas evoluiu-se, descobriu-se que afecta o desenvolvimento mental do ser humano. Hoje se souberes de uma mãe que põe vinho em vez de leite num biberão, vais achar que é doida, certo?

      Beijinho, é sempre bom "ver-te" por aqui, dás sempre bons contributos

      Eliminar
  9. Oi Ruthia,

    estamos podendo fazer mais um belo passeio pelas terras portuguesas. É sempre um prazer e uma alegria.
    A maldade contra os animais ou qualquer ser que não pode se defender nos deixa tristes e, às vezes, revoltados.
    Beijos e que você tenha uma boa semana

    ResponderEliminar
  10. Querida Ruthia,tb não tenho estomago para touradas e nenhum tipo de humilhação ou flagelo aos animais.Penso ser uma barbarie.Lindas imagens de Sabugal e texto belo e nostálgico.bjs,

    ResponderEliminar
  11. Olá Ruthia..

    Você tem uma narração excelente, nos dando a sensação de estar no local...Parabéns! bem elaborado teus textos amiga! Sempre que dá venho por aqui espiar...hehe

    Quanto ao que me perguntas sobre meu blogue..são 4..

    http://palavraspoemasepoetas.blogspot.com
    http://umtoquedeafeto.blogspot.com
    http://anjodascolinas.blogspot.com
    http://tudomudacomafeto.blogspot.com

    Quando puderes visitar será uma honra tê-la por lá..Seja sempre muito bem vinda.

    Forte abraço e uma semana de luz!

    Lecy'ns

    ResponderEliminar
  12. Querida Ruthia,
    Também moro em uma cidade do interior e, assim como você, sinto falta de muitas coisas de uma cidade grande. O jeito é se adptar e foi assim que comecei a participar da comunidade através do ente de turismo e promoção do local (pro loco).
    Sobre as touradas, também não gosto de todo este sofrimento com o pobre animal (os rodeios que fazem do outro lado do oceano, inclusive no Brasil, estão incluídos na lista das tradições "fora de moda"). São coisas de tempos em que os direitos humanos nem existiam, quanto menos àqueles dos animais. Com a tecnologia tão moderna, por que não inventam um toro robot para as touradas?
    Um beijo e uma linda semana.
    Juliana

    ResponderEliminar
  13. Ruthia,
    Nunca fui em touradas, embora conheça gente que saiba argumentar o contrário.
    A capeia é uma tradição bem raiana, ali para os lados do Sabugal, e as suas gentes defendem-na com unhas e dentes. Faz parte da sua história, da sua cultura, e há que entender esse contexto. Mas, como dizia o poeta, o mundo pula e avança, não é assim?

    Beijo :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, pelo que me apercebi, orgulham-se bastante dessa tradição. Ao menos não magoam o bicho. O Homem diverte-se de formas estranhas :)
      Beijinho

      Eliminar
  14. Amiga, passando para lhe desejar uma ótima quarta e agradecer sempre o carinho comigo e com meus projetos, obrigada :D
    Beijos Té
    www.bloglola.com.br

    Instagram: stephanieparizi

    ResponderEliminar
  15. Feliz dia dos namorados!
    Que você continue cheia de inspirações!

    Bjusssss

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Márcia, nós em Portugal festejamos o Dia dos Namorados em Fevereiro. Mas espero que vc tenha vivido um dia doce e feliz :)

      Eliminar
  16. Ruthia, querida amiga
    Tal como prometi… estou visitando e agradecendo, individualmente, a quem esteve comigo no dia 6.
    É verdade, amiga, esta dor é difícil de ultrapassar, apesar de já ter passado um ano, que me parece um dia.
    Tem que ser o tempo a amenizar os sentimentos, mas vai demorar ainda muito, sem dúvida,
    Tenho que descobrir forças não sei bem onde, para continuar.
    Muito obrigada pelo seu carinho.
    Beijinhos

    Sabugal, sim, vale a pena visitar (conheço) é uma cidade muito bonita.
    Tourada... dispenso. ODEIO!(como tudo que inclua violência)

    PS – A minha próxima postagem será amanhã, dia 14, como habitualmente.

    ResponderEliminar
  17. O interior do país é riquíssimo.
    Pode não ter bibliotecas, ópera e outras coisas, mas tem muitas coisas que as grandes cidades não têm.
    Mais um magnífico post, muito ao teu estilo...
    Ruthia, tem um bom fim de semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  18. Ruthia, tudo muito lindo, exceto que ainda existe a pratica das touradas, assim como outras coisas abomináveis contra os animais ao redor do mundo. Exemplo, rinhas.

    Beijos e otimo domingo.

    ResponderEliminar
  19. Olá Ruthia...

    Passando para te deixar um belo domingo iluminado!

    Forte Abraço,

    Lecy'ns

    ResponderEliminar
  20. As touradas são tristes mesmo, alias somos os únicos animais que matam por esporte, já os lugares que mostrou são divinos.

    ResponderEliminar
  21. Ruthia,
    Quero agradecer... por me ter poupado a mais sobre a touradas.
    Não sou nada fã. Acredito que a tradição não justifica tudo e em caso algum deve justificar a crueldade.
    Este maravilhoso país tem tantas coisas a ver e apreciar além disso!
    Beijinhos!

    => Crazy 40 Blog
    => Pense fora da caixa
    => Tubo de Ensaio
    => MeNiNoSeMJuIz®

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não podia concordar mais contigo. Temos lugares e tradições lindíssimas, não precisamos desse tipo de espectáculo para sermos portugueses.
      Abraço

      Eliminar
  22. Chegando por aqui e ficando. Gostei de ler assuntos diferentes.
    Se quiser me conhecer ...... gosto de viagens pelo mundo também.
    Dispenso touradas!
    Boa semana.
    Beijos.

    ResponderEliminar

«Viajar torna uma pessoa modesta – vê-se como é pequeno o lugar que ocupamos no mundo.» (Gustave Flaubert)

Obrigada por ler as minhas aventuras e ainda gastar um momento para comentar. A sua presença é muito importante para mim. Um abraço e até breve!