Madeira 3 | Um pavão desesperado e outras glórias da natureza

by - 23:42





Ar puro, uma vista deslumbrante, plantas exóticas e recantos de inspiração oriental... tudo regado com um cálice de vinho da Madeira que não cheguei a provar

Estamos de regresso ao Funchal, para visitar um jardim maravilhoso, na freguesia do Monte. A Madeira é rica em parques e jardins mas este... bem, este, é qualquer coisa de especial! Ou a prestigiada revista de viagens Condé Nast Traveller não o teria apontado como um dos 13 jardins botânicos mais  belos do planeta (2013).

Falo do Jardim Tropical Monte Palace, mantido pela Fundação Berardo, que ocupa uma área de sete hectares e nos oferece momentos de grande tranquilidade.

Os botânicos devem ficar nas nuvens perante a abundante colecção de plantas exóticas, dos quatro cantos do mundo: cicas e próteas da África do Sul, azáleas da Bélgica, urzes da Escócia, orquídeas dos Himalaias, sequóias da América, acácias da Austrália, espécies endémicas da Madeira... 






Aliás, logo à entrada, somos recebidos por três grandes oliveiras, milenares, transplantadas do Alqueva (Alentejo) para não ficarem submersas pelas águas da barragem. Árvores plantadas pelos romanos no século 300 A.C., ou seja, já davam azeitonas quando Cristo desceu à terra.

Os biólogos procurariam os cisnes bravos, os patos, pavões, galinhas (incluindo galos de combate da Indonésia) e a garça-real que se passeiam, livres e barulhentas. Lembrariam o simbolismo do pavão no Vietname ou na China, onde é visto como um mensageiro de paz e prosperidade, e ficariam tristes pelo belo espécime que, continuamente, abre as suas cores para as fêmeas que já não existem no jardim...

Ficariam encantados pelos dóceis peixes koi, que podem viver um século e são, por isso mesmo, tão valiosos e acarinhados na Ásia.







Eu, que nada sei de botânica e de zoologia, apreciei sobretudo o toque pessoal do comendador Berardo neste recanto e as belas obras de arte que salteiam a vegetação, nomeadamente os 40 painéis de azulejo que retratam a História de Portugal, com os acontecimentos mais importantes dos reinados e Repúblicas!


Inspiração oriental

O madeirense trouxe das suas viagens muita inspiração para este Jardim Tropical, de que é exemplo a exposição "Paixões africanas", com escultura contemporânea do Zimbábue.

Mas os cantinhos mais belos são, seguramente, de inspiração asiática e resultam de uma jornada apaixonante à China e Japão. Os dois jardins orientais são uma tentativa de recriar essa cultura ligada ao Budismo, com o seu respeito pela natureza e os seus elementos simbólicos.









"À entrada do Jardim Oriental, (...) há dois cães de Fó, em mármore, animais míticos do Oriente geralmente encontrados nas entradas dos templos, actuando como guardiães. Nas suas bocas entreabertas encontra-se uma bola móvel que, de acordo com a crença chinesa, dá boa sorte àqueles que lhe derem uma volta completa (...) podem ver-se vários pagodes, que originalmente tinham por finalidade alojar relíquias ou marcar locais sagrados (...) esculturas Budistas, tais como, um dragão em mármore rodeado por crianças representando a fertilidade, bancos de pedra com decorações orientais e várias lanternas também em pedra." - a descrição é da própria Fundação e eu não faria melhor.

No meio desta tranquilidade zen sobressai ainda o painel “A Aventura dos Portugueses no Japão”, uma estrutura de ferro com 166 placas de terracota que conta a história de amizade entre os dois países.









Descida alucinante

Felizmente o Monte Palace, que começou por ser palacete e depois hotel, chegou às mãos deste mecenas, para desfrutarmos hoje do espaço. O bilhete para o Jardim Tropical inclui a degustação de vinho da Madeira, que não cheguei a provar porque, entretanto, o meu pequeno explorador resolveu testar um lago coberto de nenúfares e ficou com as calças encharcadas até ao joelho!

A solução foi abreviar a visita e procurar uma casa de banho com secador para as mãos. As calças acabariam por secar no regresso, durante a aparatosa descida num dos famosos "carros do monte".

Criados no século XIX para transporte de mercadorias e moradores morro abaixo, hoje são uma atracção turística muito popular. O passeio transporta-nos ao longo de dois quilómetros pela encosta, num cesto de vime, terminando a meio do caminho entre o Monte e o Funchal.

E o Pedro grita de alegria durante todo o percurso! Uuuuu...









::::::
Entrada no Jardim Tropical Monte Palace: 10€ (adulto), grátis para as crianças
Descida nos carros do monte: 25€, 30€ ou 45€, para uma, duas ou três pessoas



You May Also Like

17 comentários

  1. Tudo maravilhoso e Pedro só pode ficar encantado com tantas coisas que apresentam para ele. Adorei tudo e a foto dele com o pavão, encantadora! beijos,linda semana,chica

    ResponderEliminar
  2. Pelo estilo do jardim bem me parecia o do Berardo. Agora fiquei muito curiosa para o visitar. Adoro o Buda Garden, no Bombarral. Mas a Madeira beneficia de um clima propício às flores e vegetação, coisa que no Bombarral falta e muito.
    Já perto de Azeitão encontra-se outra quinta do Comendador, também para visita, onde se destacam logo os guerreiros chineses.
    As tuas fotos estão excelentes. E a descrição maravilhosa. Ainda bem que gostaram das férias.
    Beijos enormes

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É realmente lindo, só foi pena as calças molhadas. Foi na segunda foto a contar do fundo que o Pedro pôs, literalmente, "o pé na poça"... está coberto de nenúfares ou flores de lótus ou uma planta aquática qualquer e ele pensou que fosse um simples canteiro.

      Eliminar
  3. Que lugar fantástico!!! Gostaria de visitar um dia!

    Beijos

    ResponderEliminar
  4. Nossa que lugar incrível....se tivesse condições iria conhecer logo.

    ResponderEliminar
  5. Ruthia,

    Como é LINDO!!!!!!!!!!!!!!! Que passeio maravilhoso!

    Espero que tenham passado uma Feliz Pascoa. Eu.... resolvi começar a correr, tenho que correr muito, afinal... como tem chocolates aqui em casa! Sempre juro nunca mais comer, mas queria saber quem foi que inventou chocolates! Era um malvado mesmo! :D

    Bjs

    ResponderEliminar
  6. Mas que viagem, Ruthia!
    Parece um passeio absolutamente maravilhoso para sonhar!
    Gostei muito da ideia das obras de arte a pontuar a visita do jardim botânico. Interessantíssimo!
    Obrigada por este sonho :)
    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  7. Querida Ruthia
    Como foi maravilhoso fazer este passeio consigo!
    Nunca fui capaz de descer nesses carros de vime! Quando aí estive,vim de teleférico. Uma viagem a não perder!
    Parabéns pela sua narrativa, que prende quem a lê até ao fim.Obrigada.
    Beijinho
    Beatriz

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não subimos ao Monte de teleférico porque o Pedrinho já tinha andado em Guimarães e não gostou particularmente da experiência. E, sabendo dos preços dos carrinhos de vime, que não se encontram em qualquer lado, optei por subir de autocarro e descer dessa forma original.
      Estivemos a assistir durante algum tempo, e só depois perguntei ao pequenito se queria andar. Se ele se mostrasse receoso, não iria, claro. Mas ele ficou muito entusiasmado e adorou a experiência.
      Beijinho minha querida, é sempre uma alegria "vê-la" por aqui

      Eliminar
  8. Ruthia querida, isso é um passeio inesquecível, para mais de um dia.... imagino-me por horas a admirar a linda natureza e os recantos orientais, que muito me atraem!
    obrigada por dividir conosco mais este teu lindo momento!
    bjs no Pedro
    passando para desejar ótima quarta-feira
    bjs
    tititi da dri

    ResponderEliminar
  9. Calu falou-me do seu Blogue e deste passeio fantástico à Madeira!
    Adorei viajar consigo e com o Pedro e não fora o meu pavor de andar de avião, decerto já teria teria visitado a nossa Pérola do Atlântico! Esta também é uma forma de ir conhecendo outras paragens! Beijinhos e obrigada. Ailime

    ResponderEliminar
  10. Sou curiosa e quando vc disse no início que não chegou a degustar o vinho, cá fiquei a me indagar o porquê. Achei linda a imagem do pequeno explorador a investigar nenúfares... pena as calças molhadas!
    Abraço!

    ResponderEliminar
  11. Olá Ruthia!
    Acabo de ler os três posts sobre a Madeira e estou encantado! Nao julgava ser tão linda e tão particular esta ilha. Dá vontade de retornar a Portugal e visitar imediatamente. Suas fotos e seu texto só faz essa vontade aumentar. Beijos!

    ResponderEliminar
  12. Ruthinha, que passeio mais gostoso. Olhando as fotos me passou a sensação de tranquilidade e paz, sabe?! Agora que pavão mais enorme hahahaha, choqueiiii!!!!
    Tenha uma linda quinta :)
    Beijinhos, Té
    www.bloglola.com.br

    ResponderEliminar
  13. Ruthia,
    aqui estou com um olhar encantado por essas belas paragens da Madeira; jardins paradisíacos, espécimes magníficas, uma benção composta com esmero para deleite de todos que lá visitem.
    O Pedro é um desbravador nato.
    Fotos belíssimas \0/
    Bjinhus,
    Calu

    ResponderEliminar
  14. Oi Ruthia, estou encantada com a Ilha da maedeira.
    beijos
    CHris
    http://inventandocomamamae.blogspot.com

    ResponderEliminar

«Viajar torna uma pessoa modesta – vê-se como é pequeno o lugar que ocupamos no mundo.» (Gustave Flaubert)

Obrigada por ler as minhas aventuras e ainda gastar um momento para comentar. A sua presença é muito importante para mim. Um abraço e até breve!