Bairros modernos, enfeitados

by - 14:31


Um dia Alexandre Dumas terá dito que "limpeza não pressagia civilização, mas decorre dela" (soará mais bonito em francês?). Queremos ruas limpas, sem lixo e dejectos de animais.

E já não chega. Graças a uma insaciável sede humana, hoje a civilização pede mais das ruas, praças e jardins. Exige que nos alimentem a alma. Sim, queremos beleza, que algo nos distraia do trânsito, do barulho, dos transportes públicos apinhados e da correria das cidades... 

Queremos esses bairros modernos que Cesário Verde cantou, com ruas largas macadamizadas, casas apalaçadas e escadas de xadrez marmóreo, onde o sol aconchega os "seus raios de laranja destilada".

Pois bem, eis algumas esculturas/estátuas em que tropecei durante as minhas deambulações, uma dezena para fazer conta certa, que consolam os olhos e a alma... Aposto que já passaram por algumas bem interessantes. Elas andam por aí, basta tirar o nariz do chão e reparar.



1. As bodas reais (Trancoso, Portugal)

















Eles são D. Dinis e D. Isabel de Aragão e foram esculpidos num enlevo aparentemente enamorado (a princesa tinha apenas 12 anos...). O rei português casou em Barcelona, por procuração, e apenas celebrou a boda em Trancoso, a 26 de Junho de 1282, acrescentando a vila ao dote da sua consorte.
[Post aqui]



2. Titãs furiosos (Praga, República Checa)


















Dois titãs monumentais enfeitam o portão do Castelo de Praga, no alto da colina de Hradcany, onde a cidade de Praga foi fundada lá para os confins do século XIX. O vasto complexo inclui um palácio, três igrejas, estábulos reais, um mosteiro e jardins, com vista para o rio Moldávia. Porque será que estão tão zangados?
[Post aqui]



3. Gargalhadas contagiantes (Porto, Portugal)
















"Treze a rir uns dos outros" está no Jardim da Cordoaria desde 2001, quando a cidade invicta foi Capital Europeia da Cultura. A organização do ano cultural encomendou a peça ao escultor madrileno Juan Muñoz e, apesar das vozes críticas que afirmam que todo o romantismo do espaço se perdeu, eu adoro a escultura ladeada por plátanos centenários.



4. Pela língua castelhana (Salamanca, Espanha)


















A escultura nada tem de extraordinário: uma simples pena, um tinteiro, um pedaço de papel. O conceito por detrás, no entanto, é magnífico. 

Representa um roteiro turístico-cultural em seis cidades espanholas que, por motivos históricos, linguísticos, literários ou políticos, tiveram um papel fundamental no nascimento, evolução e expansão da língua castelhana: San Millán de la Cogolla (La Rioja), Santo Domingo de Silos (Burgos), Valladolid, Ávila e Alcalá de Henares (Madrid). Porque as palavras podem mudar o mundo...
[Post aqui]



5. Marquês alternativo (V.R. Santo António, Portugal)














O famoso João Cutileiro assina esta escultura do Marquês de Pombal, inaugurada junto à marina da cidade algarvia em 2009. O governante, que ordenou a fundação da cidade em 1774 para controle do comércio na foz do Guadiana, olha o horizonte... se partirmos do pressuposto que está virado para a água. É que a obra de arte, bem ao estilo de Cutileiro, tem imensos cachos mas nenhum rosto.



6. Mijar sobre a nação (Praga, República Checa)

















O Museu Kafka recebe-nos com uma instalação provocatória: dois homens urinam sobre o mapa da República Checa.

Com esta escultura em movimento, David Cerny quis protestar contra a corrupção no país. Aliás, o artista é bem conhecido pela suas obras pouco convencionais. Certa vez, colocou uma mão gigantesca com o dedo do meio levantado no rio Vlatva, num local onde o Presidente da República não podia deixar de ver, desde a casa presidencial.
[Post aqui]




7. Um despertar feminino (Lisboa, Portugal)

© http://www.lisboapatrimoniocultural.pt/














A menina acorda feliz no Jardim da Estrela. Construído no século XIX, o jardim ao estilo inglês tem várias esculturas, mas este “O Despertar” (1911-1921) - conhecido igualmente como “A Preguiça” - de José Simões de Almeida sobrinho é uma das mais belas. Mais do que um momento íntimo, a peça metaforiza o despertar para a vida e a puberdade. 

Em 1915, um gesso de bronze desta peça foi apresentado na Exposição Internacional Panamá-Pacífico, que comemorou a abertura do Canal do Panamá.




8. Rugby player? (Roma, Itália)


















Não sei muito sobre estes personagens que repousavam docemente no Palatino, uma das sete colinas de Roma (foi em 2013, será que lá continuam, impávidas e serenas?). Recordo-as aqui porque contrastam de forma gritante com todas as outras da cidade. Ao contrário da arte romana clássica e grandiosa, esta peça é subtil, delicada e até um pouco estranha, tendo em conta os capacetes de rugby. Parecem bailarinos extraterrestres, não acham?
[Post aqui]




9. A idosa pensadora (Loulé, Portugal)




















Esta senhora de bronze homenageia os vendedores do mercado louletano. A escultura de Teresa Paulino e Pedro Félix foi inaugurada em 2008, por altura do centenário do castiço mercado de Loulé. Acho que todos os portugueses se identificam com esta idosa trabalhadora, preocupada com a vida! A sua mão segura a cabeça, numa atitude de alheamento, enquanto os seus produtos hortícolas ficam por vender...
[Post aqui]




10. Imagine (Liverpool, Inglaterra)


















O primeiro filho e a primeira mulher de John Lennon (Julian e Cynthia) inauguraram o monumento "Peace and Harmony" em 2010 no dia em que o ex-Beatle teria festejado o 70º aniversário.

Um globo rodeado por pombas brancas e símbolos musicais - como uma guitarra, instrumento em que Lennon se distinguiu - relembram a utopia do músico. A carreira do autor de Imagine terminou em Dezembro de 1980, quando foi assassinado à porta de casa, em Nova Iorque. Mas a sua mensagem não ficou esquecida!
[Post aqui]



You May Also Like

15 comentários

  1. Acho que o escultor tcheco devia ser clonado - os clones seriam, depois, distribuídos pelo mundo todo. Difícil será encontrar um lugar em que não haja corruptos que precisem receber uns sutis recadinhos.

    ResponderEliminar
  2. Que beleza tudo isso e adorei ver o Pedro interagindo com cada uma delas! LINDO! bjs, ótimo dia! chica

    ResponderEliminar
  3. todas são lindas e merecem fotos e comentários preciosos como tu fizestes. Mas o xixi é digno de ser copiado em muitos países, inclusive aqui (além do xixi, seria mais que merecido do dedo elevado, bem à porta do Congresso Nacional, Senado e Palácio).
    Me inspirastes a pegar a máquina e sair por aqui, coisa que farei qualquer dia destes!!
    bjs querida amiga, te desejando um meio de semana maravilhoso!!

    ResponderEliminar
  4. Ruthia,
    Reconheci imediatamente o 1, o 3 e o 7!
    Muito engraçado, de facto, os interessantes encontros que podemos fazer ao virar de uma esquina ou ao atravessar uma praça.
    Gostei :)
    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  5. A minha decoração predileta foi a de "Praga"
    http://toobege.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  6. Bela partilha Ruthia, gostei da irreverência de Praga e a ternura das menina despertando.
    Mas esta senhora mercadora é linda.
    Grato amiga.
    Abraços.
    Beijo

    ResponderEliminar
  7. Impressionantes testemunhas marmóreas de tipos e épocas a nos contarem nos gestos as histórias de si, dos tempos, da vida.Despertam a imaginação.
    Conheço de perto duas delas, das demais destaco o despertar da menina e a senhora na praça.Encantadoras!
    Passear por aqui é sempre um prazer.
    Bjos Ruthia.
    Calu

    Obs: agradeço o carinho da indicação.Bom final de semana pra vcs.

    ResponderEliminar
  8. Vários posts para ver num só. Um verdadeiro pack cultural. Adorei. Tanto mais que não conhecia nenhuma. Não vou a Loulé desde os anos 80 do século passado e a Vila Real desde os anos 70. Ao Porto não vou desde 98 e a Trancoso nunca fui, muito menos ao estrangeiro.
    O Pedro é lindo.
    Um abraço e bom Domingo.

    ResponderEliminar
  9. Olá! :) Tem um presente aqui:

    http://diasqueolhoomundo.blogspot.com/2014/11/premio-infinity-dreams-2014.html

    Um beijinho e um bom fim de semana!

    ResponderEliminar
  10. Pedrinho absorvendo tudo o que os pais lhe informa. Que menino privilegiado! Já disse isso aqui, mas repeti.

    Depois de umas fotos lindas, Ruthia, querida, uma maravilhosa semana pra vc!
    Beijos

    ResponderEliminar
  11. Gostei de todas, Ruthia. E de conhecer a história que cada uma representa, conforme mencionou. Tenho preferência pelas de nºs 3 e 7 (rss), pelo riso. Fico imaginando como é interessante para o seu filho estar diante da beleza e da cultura que suas viagens lhe proporcionam. Muitos passam diante desses trabalhos artísticos sem lhes dar atenção. E são preciosos para olhos atentos como os seus. Bjs.

    ResponderEliminar
  12. Que legal Ruthinha!!! Hoje tivemos uma boa aula de história através dos monumentos rs :)
    Gostei da de Praga e eles fazendo xixi!!!
    Se Deus me abençoar, gostaria de ter uns 3 filhos amiga, eu gosto muito <3
    Digo que nasci para isso, para ter uma família grande com cachorros e tudo mais rs!!!
    Beijos, Té
    www.bloglola.com.br

    ResponderEliminar
  13. Amei as fotos e conhecer um pouquinho sobre esses lugares :)
    Parabéns pelo post, como sempre vc arrasou!

    beijinhos ;*
    http://noostillo.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  14. Sim, estamos mais insatisfeitos e exigentes, até com as ruas!
    A Cordoaria aqui tão perto e eu ainda não vi aquelas esculturas...
    Beijinhos, boa quarta :)

    ResponderEliminar
  15. A-MEI as bodas reais, de Trancoso! Lá não estive... :( Algum dia aí voltarei? :/
    Lindo o Pedro a interagir com as estátuas!
    :)

    ResponderEliminar

«Viajar torna uma pessoa modesta – vê-se como é pequeno o lugar que ocupamos no mundo.» (Gustave Flaubert)

Obrigada por ler as minhas aventuras e ainda gastar um momento para comentar. A sua presença é muito importante para mim. Um abraço e até breve!