Liechenst.., Lietench..., Liehc...um micro país no coração da Europa




O nome do 6º país mais pequeno do mundo não é fácil para os falantes não germânicos. Entalado entre a Suíça e a Áustria, entre o rio Reno e os Alpes, o Liechtenstein (é assim que se escreve) afirma que "great things come in small packages"

Não tem exército ou moeda própria, aeroporto ou rede de comboios. Basta cerca de meia hora de carro para o atravessar de uma ponta à outra. E, no entanto, é um dos países mais ricos do mundo, governado por um príncipe-empresário que se pode encontrar na rua como qualquer cidadão comum.

Tem tradição na arte da filatelia, produz excelentes vinhos e queijos e, à semelhança da nação vizinha, é um centro bancário e financeiro. Vamos conhecer melhor este minúsculo e peculiar país?

Começamos esta jornada no quilómetro zero, em Vaduz, bem ao lado do posto de turismo da Städtle Street, ponto que marca o início de todas as estradas e caminhos, medidos em 1864. Carimbado o passaporte pela módica quantia de 3 francos suíços, partimos para explorar a capital, também ela pequenina e um aprumo de organização e limpeza.




 © Liechtenstein Marketing


As principais atrações da cidade, lojas e restaurantes desfilam ao longo desta rua pedonal. Num extremo fica a igreja neo-gótica de S. Florin (1873), construída sobre as fundações de um templo medieval e elevada ao estatuto de catedral pelo Papa João Paulo II nos anos noventa.

Ultrapassada a praça Peter Kaiser, onde se concentra o belo edifício do governo e o Landtag (parlamento), surge o Museu Nacional, o Museu do Selo, a Câmara do Tesouro e o Kunstmuseum Liechtenstein de arte moderna, anunciado por uma linda escultura de Botero no meio da rua. A caminhada termina dois minutos depois, junto da Câmara Municipal.

Lá no alto, a 120 metros de altura, o Schloss Vaduz (castelo) reina sobre a paisagem. Adquirida pela família real no século XVII, quando assumiram o controlo da região, a fortaleza medieval sofreu várias modificações para se tornar residência oficial da Casa do Liechtenstein. A par da fotogénica Rot Haus (casa vermelha), ali para os lados de Mitteldorf, este é o edifício mais emblemático do Liechentenstein. Infelizmente, nenhum dos dois está aberto ao público.


Outrora integrada no mosteiro de S. João, a Rot Haus hoje pertence a uma família com tradição vinícola. 
A Páscoa no Liechtenstein encantou o pequeno explorador. O coelho estava a distribuir ovos de chocolate Lindt!

Rumamos depois à singela Triesenberg, a uns míseros 10 minutos da capital, a meio do caminho para a estação de esqui de Malbun. À excepção da sua igreja com cúpula de cebola (Igreja de S. José), a vila não tem nada de turístico e ainda bem. O passeio vale pela paisagem alpina com cumes nevados e vacas a pastar, as casinhas típicas e o ar puro.

Aqui moram descendentes dos Walser, habitantes da montanha do Valais (sul da Suíça) que se espalharam pela região nos séculos XII e XIII, e que falam um dialeto próprio. Os seus conterrâneos descrevem-nos como teimosos e duros, como as montanhas que os rodeiam. 

E por falar em idiosincracias locais, o trilho Walser Saga Path parece-me uma forma maravilhosa para explorar as redondezas, já que promete encontros com personagens bizarras como o "Wildmannli" (wild man) ou o "Feuerroten Geissbock" (Fire-Red Billy-Goat).



© Liechtenstein Marketing








Mais do Liechenstein:
  • Hofkellerei, a vinha do príncipe (em Vaduz). São quatro hectares de vinha, onde se produz  Pinot Noir e Chardonnay. Mais informações sobre as visitas guiadas, com degustação, aqui.

  • Malbun. A principal estação de esqui do Liechtenstein fica a cerca de 15 km da capital. Com uma zona infantil,  assume-se como uma estação familiar, tendo recebido mesmo o Families Welcome Award. Mais informação aqui.



Como ir:
O Liechtenstein não tem aeroporto, sendo comum os turistas chegarem desde a Suíça (o aeroporto de Zurique fica a 115 km), da Áustria ou da Alemanha. De Zurique, pode apanhar-se o comboio para Chur, saindo na cidade de Sargans, e depois o autocarro da Liechtenstein Bus até Vaduz.
Nós optarmos por alugar carro para explorar o Liechtenstein e a Suíça.


You May Also Like

11 comentários

  1. Que maravilhoso ligar nos trazes hoje e as fotos deslumbrantes! Devem ter aproveitado bastante, na certa! bjs, chica e bom te ver!

    ResponderEliminar
  2. Este país tão pequeno e rico, eu já andava a ler sobre ele ou ver vídeos no youtube. Creio que deve ter uma paisagem maravilhosa. Gostei de saber mais, por aqui, Ruthia.
    Um beijinho querida e um ótimo final de semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agradeço a sua presença e comentário. Foi uma decisão repentina, já que não fica longe de Zurique, e não nos arrependemos nada. É um encanto!

      Eliminar
  3. Eu não conheço, talvez em breve, é muito encantador. Minha sobrinha foi recentemente e tem fotos de contos de fadas.

    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tudo muito limpo, organizado, bem cuidado. Como na Suíça, de resto. Tiramos fotos belíssimas, Sissym. Beijinho

      Eliminar
  4. Não conheço. mas pela descrição vale a pena passar por lá.
    Mais uma excelente reportagem, gostei muito.
    Boa semana, amiga Ruthia.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  5. Ruthia, com suas postagem fico aqui imaginando o quanto o mundo é grande e como somos limitados em nosso mundo! Como sempre um belo texto com fotos magníficas! Uma linda semana pra vcs! Beijos!

    ResponderEliminar
  6. Já tinha escutados algumas histórias - até pq aqui tb é terra de muito alemão e eles adoram contar sobre um dos menores países do mundo, que tem um pouco da Alemanha.
    Amei viajar de carona no teu post, sempre tão completo e repleto de informações, que nos faz sentir como se estivessemos todos juntos a vivenciar mais essa aula de história e cultura!
    bjs .... a possibilidade de irmos a Portugal foi transferida para fim de outubro início de novembro.. ou até janeiro!
    bjs

    ResponderEliminar
  7. Um passeio muito interessante. Um pequeno país de que já ouvi falar, mas de que nunca tinha visto imagens.
    O pequeno explorador esstá muito bem.
    Um abraço

    A neta, foi escolhida para representar a turma, nas reuniões com a diretora, para possíveis melhorias na escola. Creio que isso diz como ela é.

    ResponderEliminar

«Viajar torna uma pessoa modesta – vê-se como é pequeno o lugar que ocupamos no mundo.» (Gustave Flaubert)

Obrigada por ler as minhas aventuras e ainda gastar um momento para comentar. A sua presença é muito importante para mim. Um abraço e até breve!