Um roteiro artístico em Vaduz


Colecções de arte moderna, selos, ovos Fabergé, esculturas em cada esquina... Apesar do seu tamanho liliputiano, o Liechtenstein tem muito para oferecer aos amantes de arte.





Já tive oportunidade de descrever em traços gerais a visita a este micro país num post anterior (aqui). Hoje apresento as principais atracções artísticas da capital, Vaduz, concentradas em meia dúzia de quarteirões.

Um dos edifícios mais arrojados da cidade acolhe o Kunstmuseu Liechtenstein, isto é, o museu de arte moderna e contemporânea. Uma equipa de arquitectos suíços projectou-o em basalto e betão, dando uma coloração subtil a esta estrutura de "grande complexidade estrutural e discreta simplicidade". Lá dentro, existe uma interessante colecção com obras desde o século XIX até à actualidade.

Praticamente anexada ao museu, a Hilti Art Foundation acrescenta uma secção dedicada às formas femininas na pintura (ex. Picasso) e escultura (ex. Alberto Giacometti), no piso térreo, e uma exposição temporária de modernismo clássico no segundo piso.

Seguindo sempre a Städtle Street, chegamos ao Museu do Selo e dos Correios, aberto ao público desde 1936. Porquê um museu do selo, perguntam-se vocês, tal como eu fiz!? Bem, é que o Principado tem uma longa tradição filatélica, iniciou a sua emissão de selos em 1912; diz-se que foi um dos primeiros países do mundo a colar selos em envelopes. Honrando essa tradição, podemos encontrar vários impressos no chão das ruas da capital.


© Liechtenstein Marketing.
Uma edição de selos alusivos aos Jogos Olímpicos de Inverno, onde o país já conquistou várias medalhas (esq. inf.) e o selo alusivo ao Ano do Galo do calendário chinês (dir. inf).


Os colecionadores com certeza ficarão nas nuvens com este espólio, com destaque para as edições polémicas da época das duas guerras mundiais e da ocupação austro-húngara. Também achei curioso o facto de piscarem o olho ao oriente, com uma edição de selos dedicada ao zoodíaco chinês.

O famoso desenho de Koloman Moser para o primeiro selo postal emitido pelo Liechtenstein pode ser visto muito perto dali, no extremo oposto do edifício, onde recentemente foi instalada a Câmara do Tesouro, com peças do príncipe e de outros colecionadores privados.

A exposição O Principado, o Mundo e o Espaço inclui algumas joias reais, armas e presentes valiosos apresentados por reis e imperadores, como Frederico o Grande ou o imperador Joseph II da Áustria. 

Para quem conhece as jóias da coroa britânica (aqui), a exposição nada tem de extraordinário, excepto por duas curiosidades: podem ver-se ali alguns preciosos ovos Fabergé - sim, essas pequenas maravilhas da joalharia criadas por Peter Carl Fabergé para os czares da Rússia oferecerem na Páscoa - e rochas lunares recolhidas pelos astronautas a bordo das naves Apollo 11 e Apollo 17.


Uma família portuguesa com trajes alpinos, em frente ao Museu Nacional do Liechtenstein.

© Liechtenstein Marketing. Eis uma obra que teria adorado encontrar junto ao parlamento do Liechtenstein (já lá não está).
© Liechtenstein Marketing. É proibido entrar na Câmara do Tesouro com máquinas fotográficas


Havendo tempo, pode ainda visitar-se o Museu Nacional dedicado à história e cultura do país/região (com uma secção de história natural que as crianças adoram) e que ocupa um edifício do século XV. 

Mas em Vaduz tropeçamos em arte a cada passo, graças à estratégia de enfeitar ruas e praças com esculturas de bronze. Pelo que percebi, as obras vão mudando, portanto não sei se encontrarão a linda "gordinha" do colombiano Botero à porta do Kunstmuseu. Mas, com certeza, outras surpresas estarão à espera na capital do 6º país mais pequeno do mundo.

Assim me despeço do Liechtenstein, seguindo para a Suíça... tenho muito para contar sobre a terra das montanhas, dos relógios e dos chocolates. Venham comigo!



:::::::::::::::::::::::
Horários: a maioria dos museus está aberta de terça a domingo entre as 10h00 e 17h00, mas há um dia da semana em que prolongam o horário até às 20h00.

Bilhetes
  • Museu de Arte Moderna e Contemporânea: 12 CHF (11€) (site)
  • Museu do Selo: grátis
  • Câmara do Tesouro: 8 CHF
  • Museu Nacional:  8 CHF (site)
  • Dica: crianças com menos de 16 anos têm entrada gratuita em todos os museus



You May Also Like

28 comentários

  1. Querida Ruthia
    Mais uma viagem maravilhosa que fiz, guiada pela tua mão conhecedora dos encantos espalhados pelo mundo fora.
    Imagino como esse país deve ser bonito e recheado de coisas belas para se verem!
    Quase me senti lá, na tua companhia, de tal forma o descreves e decoras com lindas fotos.
    OBRIGADA!

    Votos de um Domingo feliz
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada pela sua presença sempre tão simpática, Mariazita. Bom domingo

      Eliminar
  2. Muito interessante um museu para os selos; esses pedacinhos de papel colorido estão perdendo espaço, à medida que as cartas também vão desaparecendo...

    Estou à espera dos próximos posts.

    Tenha uma ótima semana!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade, já muito poucas pessoas escrevem cartas à mão e as enviam pelos correios. É uma marca do tempo.
      Uma linda semana também para a Marta

      Eliminar
  3. Que beleza e viagem essa e tanto a ver, recordar e lembrar de lá!Que bom tu nos mostras tudinho! Valeu! bjs, lindo MAIO! chica

    ResponderEliminar
  4. Hei Ruthia, que lugar incrível, não!
    Adoraria conhecer tão pequeno e interessante país, com traços tanto da Áustria quanto da Suíça! Bons ventos te levem até as montanhas e para aqueles deliciosos chocolates, huuuuummmmm....

    Bjks

    Bia <º(((<

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, o Liechtenstein é uma mistura da Suíça, Áustria e também Alemanha, com algumas idiosincrasias próprias, claro.
      Já regressei da Suíça há algum tempo, as minhas narrativas são sempre preparadas depois do regresso. Acho que preciso de um tempo para digerir o que vi, vivi e descobri!
      Beijinho

      Eliminar
  5. Depois deste segundo post, igualmente interessante, ainda fiquei com mais vontade de visitar o país.
    Boa semana, Ruthia.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  6. Adorava ir! A ver se convenço o meu parceiro :)
    Beijinhos, bom e profícuo feriado!

    ResponderEliminar
  7. 1- a cara do Pedrinho na foto da família portuguesa está ótima
    2- PERIGO!!! e bota perigo nisso - uma chocólotra assumida na Suíça???? ai ai ai bota perigo! quero ver o post!! bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hahaha. Só não esgotei o stock nacional porque o chocolate suíço é mais barato em Portugal do que na Suíça!!!!

      Eliminar
  8. Olá, sua partilhas são sempre muito interessantes, dá conhecer o que talvez ara muitas pessoas seja desconhecido e acompanha com informação, obrigado.
    AG

    ResponderEliminar
  9. Olá, ótimo artigo! Acho que deve ser bem legal esse museu, e a coleção de selos pareceu bem interessante! Espero ir a tempo de poder ver a gordinha do Botero! hehehe. Obrigado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Depois diga-me se a encontrou, Douglas. É um mulherão!

      Eliminar
  10. Nossa, que post recheado de cultura!
    Amei as fotos e a visita, com certeza um mergulho delicioso pra os amantes de arte. Parabéns!

    ResponderEliminar
  11. Se começou com essa escultura do Botero, só pode ser um roteiro super artístico! :) Adorei as dicas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também acho o trabalho do colombiano super interessante, Camila.

      Eliminar
  12. Selo é uma coisa curiosa, antigamente um monte de gente colecionava. Inclusive o carteiro lá da rua onde eu morava sempre me pedia os que eu recebia de fora. Agora ninguém escreve cartas mais, então não dá pra colecionar :(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Conheço pelo menos um colecionador, quando sabe que vou a algum país diferente, pede-me para trazer selos de lá. Porque, realmente, perdemos o hábito das cartas e as que chegam à nossa caixa do correio são quase sempre contas para pagar!!

      Eliminar
  13. Não me apercebi da publicação deste post.
    Obrigada pela informação e pelas fotos deste pequeno país, que a julgar pela amostra parece ser muito interessante.
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amostra é a palavra certa, Elvira, já que o país tem o tamanho e a população de uma cidade portuguesa. Dou-lhe boleia nestas aventuras sempre que quiser.

      Eliminar
  14. Sabes que na nossa primeira viagem à Europa, estávamos de carro pela Suíça e atravessamos a fronteira para entrar em Liechtenstein, mas só ficamos ali mesmo, na fronteira. Nossa, vontade de conhecer melhor o país depois de ler este post. Obrigada.

    ResponderEliminar
  15. Muito interessante saber que tem tanta coisa para fazer nessa cidade, em um país tão pequeno! Dica anotada!

    ResponderEliminar
  16. Mais um post do seu blog que prova que não importa o tamanho do país, basta ter olhos sensíveis como os seus! Parabéns!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os destinos são sempre influenciados pelo nosso estado de espírito. A beleza está (também) nos olhos de quem a vê. Viajar com uma criança, vendo o mundo através dos seus "óculos" permite-me ver sempre o melhor das coisas.
      Abraço

      Eliminar
  17. Adoro lugares onde se pode apreciar a boa arte. Fiquei encantada com seu post e fotos. Um dia espero fazer este roteiro em Vaduz!

    ResponderEliminar
  18. Ainda não conheço!! Dica anotada!! =) Adorei

    ResponderEliminar
  19. Tenho curiosidade de visitar este país tão pequeno e a capital parece bem interessante! Obrigado pelo artigo.

    ResponderEliminar

«Viajar torna uma pessoa modesta – vê-se como é pequeno o lugar que ocupamos no mundo.» (Gustave Flaubert)

Obrigada por ler as minhas aventuras e ainda gastar um momento para comentar. A sua presença é muito importante para mim. Um abraço e até breve!