Suíça: muito mais que relógios e chocolate

A Suíça é a terra dos clichês, as paisagens são de revista, a democracia é directa e tudo funciona como um relógio, ou não fosse este um dos seus símbolos mais fortes. Mas a federação helvética é muito mais que relógios e canivetes, bancos e chocolates, montanhas e vacas



Começamos esta jornada na região alemã, na maior urbe do país: Zurique. Considerada uma cidade global (Global Cities Index aqui) por causa do seu desenvolvimento estrutural, Zurique acolhe a sede de vários bancos, instituições financeiras e organizações internacionais como a FIFA.

Em 2009, ficou entre as 10 cidades mais poderosas do planeta e, em 2012, foi considerada a melhor grande cidade para se viver. O reverso da moeda? É um dos lugares mais caros do mundo, com trânsito, comércio e poluição visual (leia-se publicidade) de cidade grande. No entanto, ali para os lados do lago, a vida acalma com banhos de água gelada e toalhas estendidas ao sol.

Mais. Para lá chegarmos, passamos por becos e vielas de outros tempos, por barzinhos com esplanadas e inúmeras fontes de água, para enchermos as nossas garrafas. Para mim, isto é um indicador de primeiro mundo: a cidade tem mais de 1200 fontes de água potável.

Mas vamos por partes.

Apesar de termos alugado um carro para explorar o país, chegamos a Zurique de comboio porque não é fácil (e barato) estacionar na cidade. De resto, a estação Zurich Hauptbanhof é um excelente ponto de partida, já que acolhe o posto de turismo e fica a cinco minutos do centro histórico.

O Museu Nacional retrata toda a história e cultura suíça. 


Basta atravessar uma estrada movimentada e estamos na Bahnhofstrasse, a elegante rua com exorbitantes preços por metro quadrado. As montras de relógios sucedem-se, para emoção do Miguel que rejubila cada vez que vê um Panerai e, não muito longe dali, existe uma loja da Victorinox, a famosa marca de canivetes.

Ali fica também a Paradeplatz, sede dos maiores bancos suíços (UBS e Credit Suisse) que, dizem, escondem cofres subterrâneos repletos de ouro. Mas a minha imaginação não se demora em tesouros porque, precisamente nesta praça, fica a tradicional confeitaria Sprüngli, conhecida pelos seus Luxemburgerli.

O chocolate faz parte do cenário; Lindt, Läderach, Vollenweider estão por todo o lado. Ora chocolates, como toda a gente sabe, é coisa que nem aprecio (sqn)!!!!  Só não esgotei o stock nacional porque é mais barato comer chocolate suíço em Portugal do que no próprio país.




Detalhe dos afrescos de Paul Bodmer, no convento de Fraumunster.



Mas prosseguimos para o centro histórico, que o chocolate tem o condão de encolher a roupa, para conhecer a Igreja de S. Pedro e a sua linda torre do relógio. Na frescura do interior, aponto ao pequeno explorador as diferenças entre esta singela igreja protestante e outra que seja católica.

Outro lugar belíssimo é o antigo convento Fraumünster, com os seus claustros decorados com afrescos. Não chegamos a entrar, porque a visita é paga, e só depois soube que no interior existem vitrais de Augusto Giacometti e de Chagall. Oh, arrependimento!

Perto do rio Limmat, constatamos que uma multidão enche as margens e a ponte. Alguma coisa se passa, certamente, e não demoramos a perceber  que o venerado Federer (verdade, os suíços adoram-no) e o actual número um mundial do ténis, Andy Murray, estão a chegar para um treino... o objectivo é promover o Match for Africa dessa noite, uma iniciativa da Fundação Roger Federer que apoia a educação de meninos africanos. 







Passamos uma agradável tarde nas margens do lago Zurique, que os suíços transformam em praia sempre que o sol aquece, e espreitamos o jardim chinês, um presente da cidade chinesa de Kunming, como forma de agradecimento pelo apoio técnico-científico dado pelos suíços na expansão da sua rede de água e saneamento.

Voltamos ainda à cidade para visitar o Museu Nacional, que parece um palácio saído das páginas de um conto e tem a maior colecção sobre a Suíça. Lá dentro, mora a estátua de cera mais verosímil de sempre, a representar a Helvetia (ficamos ali imenso tempo a tentar perceber se era uma pessoa de carne e osso)...

Mas o que ficará para sempre na memória dos meus rapazes é aquele jogo de ténis em pleno rio, num campo flutuante.



© 20min.ch


Victorinox: site
Sprüngli: site
Projecto Match for Africa: site
Fraumünster: 5 CHF (quase 5€) | 10h00-18h00 (horário de Verão)
Swiss National Museum: 10 CHF (crianças não pagam) | 10h00-17h00





Próximos posts (vou incluindo o link à medida que forem publicados):

Berna, a cidade dos ursos
O Palácio do Federalismo (Berna)
Genebra, berço relojoeiro 
Genebra, capital da paz
Basel e a fronteira tripla
Lucerna, o leão e a montanha dos dragões

You May Also Like

30 comentários

  1. Eu havia prometido (para mim, é claro) que passaria uma semana inteira sem provar chocolate. Li o post e agora, só de pensar, fica impossível resistir. É o poder das palavras rsrsrssss...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As palavras são terríveis, Marta. Mas, por outro lado, um quadradinho de chocolate não faz mal a ninguém!

      Eliminar
  2. Que coisa linda deve ser a Suíça! Belas fotos e adorei te ler e saber de detalhes, bem explicados, de lá! Parabéns pelo dia das mamães! bjs, chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Chica. Feliz Dia da Mãe para vc também!

      Eliminar
  3. É um país encantador, gostei bastante de ver as fotografias.
    Gostei bastante do texto e identifico-me no que li.
    Um abraço e bom Domingo.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    Livros-Autografados

    ResponderEliminar
  4. ainda bem que eu já tinha comido minha porção doce do dia.... mas juro que fiquei com água na boca... adorei o "chocolate tem o dom de encolher as roupas" é assim que vou falar a partir de agora!! Juro!!
    bjs... a princípio, nossa ida será em final de outubro.. mas tudo a se confirmar ainda
    bjs

    ResponderEliminar
  5. Querida Ruthia
    Mais uma excelente reportagem duma viagem que, acredito, foi maravilhosa.
    Tenho imensa pena de nunca ter ido à Suiça, pois o que conheço por fotos indica um país lindíssimos, com paisagens únicas.
    E o chocolate??? Que tentação! Mas é bem como dizes, às vezes, no país de origem as coisas são mais caras do que no nosso próprio país.
    Adorei esta postagem (para não fugir à regra :)))...)
    Que teu Dia da Mãe tenha sido muito doce...

    Votos de uma semana muito feliz.
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Dia da Mãe foi passado com a minha mãe e o meu filho, então, dificilmente poderia ter sido mais doce.

      Eliminar
  6. Eu tenho muita curiosidade de conhecer a Suiça.
    Continuarei viajando contigo atraves de seus diários de viagens.

    Bjs

    ResponderEliminar
  7. Minha querida
    Como gostei de ler o seu texto! Até fiquei arrepiada! Há muitos anos, talvez 25(?:::) também eu fui à Suiça e entrei por Zurique.Fui de avião até porque o meu objectivo incluía mais países.Também me espantei com os suiços a «fingir» que estavam na praia, apanhando Sol no lago.Consegui rever tudo quanto contou.Foi óptimo, pois recordar é viver.
    Obrigada pelos bons momentos que me proporcionou.
    Um beijinho
    Beatriz

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico feliz por ter proporcionado esse momento feliz, ainda que, parece-me, algo nostálgico. Eu é que agradeço a sua presença amável.
      beijinho

      Eliminar
  8. Cara, sensacional o jogo de tênis dentro do lago! Algo que eu nunca sequer tinha visto ou pensado! Mas uma coisa me deixou muito triste no seu post: o preço do chocolate. Como assim??? A gente sabe que a Suíça é cara e tudo mais, e que obviamente Zurique também é por conta de tudo o que você falou... mas o chocolate suíço bem que poderia ser mais baratinho hahaha

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é, chocolate suíço devia ser barato na Suíça. Mas, enfim, se assim fosse teria que andar muito mais para compensar o estrago, haha.

      Eliminar
  9. Ah, Suíça... já fomos em Zurique, Lucerna e Berna e eu simplesmente amo esse país e também todos os seus clichês, principalmente o chocolate, hehehehe. Adorei o post.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo consigo. Se todos os clichés fossem assim maravilhosos!

      Eliminar
  10. A Suíça é incrível! Cada vez mais nossa vontade aumenta de conhecer. Que lugar! Obrigada pela dica. =)

    ResponderEliminar
  11. Genebra é uma cidade muito linda, já conheci e agora vou levar minha esposa, seu post vai ajudar no roteiro da nossa viagem

    ResponderEliminar
  12. Boa tarde, excelente fotorreportagem da bela Suiça, é um país lindo e todo organizado, já passei pela Suiça e gostei.
    AG

    ResponderEliminar
  13. Ah que país sensacional! Tenho lembranças lindas a beira do rio Limmat! Muita saudades a Suíça!

    ResponderEliminar
  14. A Suiça é um dos poucos países europeus que não conheço.
    Por isso, ainda gostei mais do teu magnífico post.
    Bom fim de semana, Ruthia.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  15. Zurich parece ser incrível! No nosso último voo fizemos um conexão lá, mas não tivemos a oportunidade de visitar a cidade... ai já sabe, né? Ficou aquele gostinho de quero mais.
    Já salvei suas dicas para uma próxima oportunidade!

    Valeu!

    ResponderEliminar
  16. Não é só chocolate, mas fazer esse roteirinho com um chocolate na mão pode ser uma excelente ideia, certo? :)

    ResponderEliminar
  17. É extremamente agradável" passear" em tua companhia, Ruthia. Tua narrativa nos transporta para as localidades apresentadas, instantaneamente e, nos oferece olhares privilegiados.
    Gostei muito de mais esta página cheia de curiosidades interessantes. Grata, querida.
    Bjos pra ti e pro pequeno explorador.
    Calu

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu é que agradeço pela sua presença tão amável. As palavras podem ter essa magia, de nos levarem com elas, voarmos...
      Beijinho

      Eliminar
  18. Olá! Apesar de ser uma país relativamente perto do nosso e de ter lá alguma família, ainda não decidi fazer essa viagem. Mas reúne todo os ingredientes para ser um excelente destino, excepto o custo de vida heheeh. Obrigado pelo relato.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, o custo de vida não é muito compatível com o bolso médio de um(a) português(a). A solução pode ser "almoços de supermercado". Aliás muitos suíços escolhem esta opção no seu dia-a-dia e os supermercados têm várias comidas take-away, sandes e saladas bem diversificadas.

      Eliminar
  19. A Suíça é meu sonho de consumo! Já era apaixonada pelas paisagens, mas a parte dos chocolates realmente rouba meu coração kkk pena que tem a questão do custo, mas um dia realizo esse sonho!!
    O tênis flutuante foi uma sensação mesmo hein?
    Amei a matéria. Ficou show!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O ténis flutuante foi realmente inusitado. Quais as probabilidades de tropeçar em 2 gigantes do ténis mundial, quando passamos apenas 2 dias na cidade, não é?

      Eliminar
  20. Um passeio sob o sol às margens do rio Limmat seria uma boa pedida para hoje. Belo relato!

    ResponderEliminar

«Viajar torna uma pessoa modesta – vê-se como é pequeno o lugar que ocupamos no mundo.» (Gustave Flaubert)

Obrigada por ler as minhas aventuras e ainda gastar um momento para comentar. A sua presença é muito importante para mim. Um abraço e até breve!