#São Miguel, Açores: Dicas de Viagem

Baleias, natureza, boa comida, praias e vulcões! Se os Açores não são o paraíso na terra, andam muito perto disso.




Parece que toda a gente descobriu os Açores nos últimos anos, da National Geographic à gigante Lonely Planet, passando pelo Globo Repórter, que dedicou uma hora inteira às exuberâncias do lugar no início de 2017 (sublinhando a diáspora açoriana no estado do Rio Grande do Sul), pelas companhias aéreas low-cost e muitos dos meus amigos. Eu juntei-me à festa e fui explorar São Miguel este Verão, com a minha mãe e o meu pequeno companheiro de sempre.
Já tive oportunidade de tecer rasgados elogios à ilha. Quem não se apaixonaria depois de subir ao topo de vulcões, contemplar crateras adormecidas sob lagos de cores dramáticas, respirar o ar puro na placidez de um pasto pontilhado de vaquinhas pretas e brancas, sabendo que um dia esta tranquilidade pode evaporar sob o efeito de uma erupção?
Acho que o meu entusiasmo pelos Açores foi visível nos textos publicados ao longo do mês de Agosto, daí terem chovido pedidos de dicas sobre a maior, mais populosa e mais verde das nove ilhas que compõem o arquipélago. Não costumo fazer este tipo de post, mas não podia deixar de satisfazer a curiosidade destes queridos leitores.

Localização
O arquipélago dos Açores fica na imensidão do Atlântico, a cerca de dois mil quilómetros de Portugal continental. São Miguel é a maior ilha do arquipélago e, juntamente com Santa Maria, forma o grupo oriental (o grupo central tem cinco ilhas e o grupo ocidental tem duas). Maior não significa uma enormidade: a ilha tem apenas 62 kms de comprimento e 15 de largura e, tal como todas as outras, tem origem vulcânica. De resto, o chão treme frequentemente nos Açores, já que fica entre três placas tectónicas.




Como chegar
Para além dos voos regulares da TAP e SATA (companhia açoriana), as companhias aéreas low cost iniciaram algumas rotas para os Açores há cerca de dois anos. No entanto, recentemente, a Easyjet anunciou que vai deixar de fazer a rota Lisboa-Ponta Delgada no final do mês de Outubro (notícia aqui).
Nós voamos com a Ryanair, com saída do Porto, companhia que também voa para a ilha Terceira. Quem pretender visitar outra ilha que não a de São Miguel deve informar-se sobre o serviço de encaminhamento inter-ilhas da SATA (aqui).

Quando ir
O clima dos Açores é temperado oceânico. O que significa isto? Que o Inverno não é muito frio (entre 12º a 18ºC), mas que a probabilidade de chuva é grande durante o ano inteiro. Pois aquela história do tempo ser inconstante? Tudo verdade. No nosso segundo dia, saímos sob chuva torrencial, a pensar que ia ser um dia perdido. Uma hora depois estava um sol radiante.
Por outro lado, apesar das temperaturas amenas, a humidade torna o calor um pouco mais difícil de suportar. A minha mãe ressentiu-se um pouco disso. Para além de chover menos, na Primavera ou Verão existe ainda a vantagem de encontrar as estradas belíssimas (no grau superlativo absoluto sintético da coisa) graças às hortênsias que entretanto floriram. 

Portanto, a mala deve incluir alguns agasalhos/impermeáveis, mesmo no Verão, para além de fatos de banho velhos para mergulhar nas águas termais acastanhadas. Acreditem que faz maravilhas à pele e grandes maldades à roupa de banho. 

Porque as condições meteorológicas são um pouco doidas mesmo e o nevoeiro pode estragar as fotos, pode espreitar previamente os locais a visitar através da aplicação SpotAzores, que tem câmaras colocadas em vários pontos estratégicos da ilha (#ficaadica).



Relógio
Para além de se mentalizar para a inconstância climática (sério, lá quem manda é a natureza), há que acertar o relógio. Nos Açores é menos uma hora do que em Portugal continental.

Onde ficar
A ilha é pequena, não há necessidade de trocar de hospedagem durante a estadia em São Miguel. Contudo, a oferta hoteleira não é suficiente para o crescente número de visitantes. Ou seja, importa reservar com antecedência e, eventualmente, optar por alojamento privado. Foi o que fizemos, já que a ida aos Açores foi uma decisão de última hora.
A capital, Ponta Delgada, concentra grande parte das actividades culturais e hotéis, sendo por isso mais procurada. Mas quem alugar carro pode optar por uma região mais tranquila, aproveitando a natureza em estado quase bruto: Furnas, Sete Cidades, Ribeira Grande ou Vila Franca do Campo. Para consultar as opções de alojamento disponíveis na Ilha, clique aqui:




Onde comer
Fruta exótica, peixe fresco, queijadas tentadoras ou o famoso cozido feito no calor da terra? No último post fiz um roteiro gastronómico da ilha (aqui), portanto não há desculpas para não experimentar as iguarias típicas da ilha de São Miguel!




Transporte
Do aeroporto até o centro de Ponta Delgada são cerca de 3 km e como o serviço de transfer deixou de funcionar há algum tempo, as alternativas são carro alugado ou táxi. Apesar de não terem taxímetro, os taxistas não podem cobrar mais de 10€ pelo serviço até à cidade, como recordam os avisos espalhados pelo aeroporto.
Para explorar São Miguel, a melhor opção é alugar carro, até porque existem segredos maravilhosos em todos os recantos da ilha. Eu bem pesquisei, mas os horários dos transportes públicos são muito limitados e não chegam a todos os lugares a visitar.
A boa notícia é que as estradas em São Miguel são boas e floridas. O trânsito é tranquilo, ainda que tenhamos de parar ocasionalmente para vaquinhas atravessarem a estrada, e os pontos turísticos estão bem sinalizados.
O carro cedido pela Azores Easy Rent foi um Mitsubishi Space Star de cinco portas, perfeitamente adequado às estradas locais. 

Existindo muitas empresas de aluguer na ilha, em que difere a Azores Easy Rent? Primeiro, a facilidade de todo o processo (o lema da empresa é “make it easy, make it good”). Segundo, para além de carros, a empresa também aluga motos de várias cilindradas. Terceiro, sobretudo os visitantes brasileiros gostarão de saber que conseguem alugar um carro de caixa automática. E, por último, a equipa é muito amável e apaixonada pela ilha (toda a gente sabe que dicas de insider são as melhores).





O que fazer
A natureza é a grande vedeta do arquipélago e São Miguel não foge à regra, com as suas lagoas e vegetação exuberante. As crateras vulcânicas de quilómetros, a bela orla costeira, as plantações de chá, as cascatas e as águas termais fazem da ilha um destino de sonho.
Quem adora o contacto com a natureza tem imensas opções: caminhadas, canoagem, mergulho, parapente, passeios a cavalo ou de bicicleta, surf... Procurem a equipa da Azores Greenmark para mais sugestões. Para além de ser a equipa ideal para quem quer fazer um trilho, já que nasceu para criar e manter os trilhos pedestres da ilha, a empresa oferece outras experiências interessantes, como conhecer um produtor de leite e até ordenhar vacas!
Outra experiência magnífica é a observação de cetáceos, já que os Açores são um dos maiores santuários de baleias do mundo. Entre espécies residentes e migratórias, comuns ou raras, avistam-se mais de 20 tipos diferentes de cetáceos nas suas águas, da baleia azul (mais habitual na primavera) ao cachalote.

Há vários passeios com saída de Ponta Delgada, nas Portas do Mar, entre os quais o da empresa Picos de Aventura, que nos recebeu a bordo.





Este post menciona algumas empresas que apoiaram O Berço durante a visita à ilha de São Miguel. Sublinho, no entanto, que esse apoio em nada interfere com as opiniões expressas, que se baseiam na minha experiência pessoal.

Etiquetas: , , , , ,