MADRID: Uma hora e uns trocados para conhecer o Prado

Sim, o Prado é um dos “grandes” museus mundiais. Sim, poderia passar um dia inteiro lá dentro. Eu até dormiria no meio das suas obras de arte, se me deixassem…

© www.getyourguide.pt

Acontece que eu viajo, invariavelmente, com um explorador de palmo e meio. E, entre milhares de coisas boas que espero para ele, desejo que continue a achar os museus super divertidos e a arte tão interessante como a banda desenhada.

Assim, o Museu do Prado e o Museu Rainha Sofia fizeram parte da sua primeira viagem à cidade madrilena, em doses moderadas. O objectivo foi apresentar ao Pedro alguns pintores espanhóis dignos do Olimpo: Velásquez e Goya (no Prado), Picasso e Salvador Dalí (vá, com umas pinceladas de Miró, no Museu Rainha Sofia).

Chegamos ao Prado no final da tarde, para aproveitar a entrada gratuita, restando cerca de hora e meia para o museu fechar, quando finalmente cruzamos as grandes portas do edifício neoclássico. É fácil perdermo-nos entre os milhares de obras que formam o espólio do Prado, pelo que levei a lição estudada de casa.

O museu possui uma linda colecção renascentista italiana que abrange Rafael, Fra Angelico e Botticelli, sem esquecer as escolas inglesa, holandesa e flamenga, onde se inclui o talentoso Rubens: vislumbrei o Rapto da Europa e The Three Graces mas consegui seguir adiante... Existem contudo exposições melhores a este nível, em outros países. O Pedrinho teve a sua dose de pintura italiana quando visitamos Roma, por exemplo (aqui e aqui).

Mas em mais nenhum lugar do mundo existe uma colecção tão maravilhosa de arte espanhola, com destaque para os pintores do século de ouro. O museu possui 48 telas de Diego Velásquez, o que representa 40% da sua obra conhecida e inclui obras-primas como As Meninas (que está para o Prado como a Mona Lisa está para o Louvre) e A Adoração dos Reis Magos


Como sabem, é proibido fotografar no interior do Prado, pelo que as imagens são do próprio museu.



O mestre foi pintor na corte do rei Filipe IV, daí a protagonista de As Meninas ser a pequena princesa Margarida. Mas ele pintou retratos da maior parte da família real, como se constata nas paredes do Prado. Um detalhe curioso é o seu conjunto de telas com anões como tema, no piso principal.

Goya é outro imperdível do museu, com 125 obras em exposição. No piso principal - ir até ao pequeno pavilhão octogonal que corresponde à sala 32 e depois salas 34 a 38 -, a Maja Vestida e a Maja Desnuda causaram alguma perplexidade no Pedro. Porque é que os pintores mostravam as partes privadas das pessoas?” perguntou-me, algo ruborizado. A Inquisição também implicou com a moça sem roupa, lá no século XVIII.

No piso inferior (salas 64 a 67), o pequeno explorador foi impressionado com a dupla Dois de maio de 1808 e Três de maio de 1808, telas que retratam um combate de rua e as repercussões brutais do dia seguinte com um pelotão de fuzilamento. Para além disso, garanto, nunca esquecerá as pinturas negras de Goya, sobretudo o sombrio Saturno devorando o filho.




O senhor dos bigodes estranhos, no Museu da Cera de Madrid.

A estrela de Madrid não se chama Cristiano, chama-se Picasso

No dia seguinte, domingo, o Pedrinho entrou no Museu Nacional Rainha Sofia determinado a cumprir uma missão: conhecer ao vivo o Guernica de Picasso.

Já lhe falara na tela há muito tempo. “Mamã, porquê que quando alguém desenha muito bem, lhe chamam Picasso?” - a coisa passou-se mais ou menos assim. Expliquei-lhe que era um pintor importante, conhecido em todo o mundo, e que uma das suas gemas era precisamente Guernica, que logo tivemos que “googlar” para satisfazer a sua curiosidade. Acrescentei que poderia vê-la um dia que visitássemos juntos Madrid. Como podem adivinhar, ele não se esqueceu da minha promessa…

Passamos um longo tempo especados em frente à tela gigante. É sempre uma emoção forte mergulhar naquele caos monocromático. 

Embora gostasse das telas de Dalí, o senhor de bigodes estranhos, foi Pablo Picasso quem conquistou o coração do meu pequeno. Sabem como é que eu sei? Já de regresso a casa, quando o pai lhe perguntou sobre o que mais gostou de conhecer em Madrid, o quadro constou da sua resposta pronta: “o túnel do vento”, o estádio Santiago Bernabéu, o museu de cera e o Guernica. Missão cumprida!

Um post sobre as outras preferências, em breve.





Museu do Prado aqui |Seg-sáb. 10h00-20h00, Dom. e feriados 10h00-19h00 | Bilhete: 15€ (adulto), grátis (criança). Dica: todos os dias existe um horário gratuito para visitar o museu. De segunda a sábado é das 18h00 às 20h00 e ao domingo das 17h00 às 19h00.

Museu Nacional Rainha D. Sofia aqui | seg, quar-sáb 10h00-21h00 (terça-feira está encerrado), dom. 10h00-19h00 | Bilhete: 10€ (adulto), grátis (criança). Dica: o horário de entrada gratuita é segunda, quarta, quinta, sexta e sábado das 19h00 às 21h00 e ao domingo a partir das 13h30.

Etiquetas: , , , , , , ,