Dicas para aproveitar o melhor da Disneyland Paris

Mergulhar neste mundo de fantasia vale a pena, nem que seja uma vez na vida. Mas a visita também pode ser cansativa, pelo que deixamos algumas dicas para aproveitar a Disney sem dramas


Visitar o resort Disney perto de Paris é entrar num mundo mágico, onde tudo é pensado ao mínimo pormenor: dos famosos Mickeys escondidos, à decoração dos restaurantes e dos caixotes do lixo. Nada é deixado ao acaso!  A emoção é muita (como já contamos aqui) mas, passadas umas horas, o cansaço pode vencer-nos.
Para vos ajudar a planear a visita, preparamos este guia prático que vos ajudará a sobreviver à experiência e usufruir de alguns segredos bem guardados. Não vale a pena organizar tudo ao milímetro e estragar a magia da descoberta, mas importa ter noção do espaço, adequando a visita à família. Tem dicas para acrescentar? Deixe nos comentários para benefício de outros viajantes.

1. COMO CHEGAR
É fácil chegar à Disneyland, graças às ligações directas a Paris via RER (rede de comboios urbanos). Basta apanhar a linha A e em 35-45 minutos estarão na estação Marne-la-Vallée/Chessy, a 2 minutos a pé da entrada. Também é possível chegar de vários pontos da Europa através dos ultra-rápidos TGV: os parques ficam a 3 horas de Londres (Waterloo) e 1h25 de Bruxelas (via Thalys).
De carro, deve apanhar a Autoroute de l’Est (autoestrada A4). Os parques têm mais de 11 mil lugares de estacionamento, disponíveis entre as 8h30 e 30 minutos após encerramento do parque, com um custo de 20€ por dia/carro.
A empresa Magical Shuttle faz a ligação entre os aeroportos de Paris, a Disneyland e os hotéis do resort. O preço dos bilhetes varia, sendo mais baratos online. Por exemplo, em junho de 2018, os bilhetes no site estavam a 23€ adulto e 10€ crianças (4-10 anos), ficando um pouco mais baratos na opção ida e volta (20,7€ adulto e 9€ criança, por trajecto). Horários dos shuttles aqui.

2. QUANDO IR
As épocas especiais na Disney - Primavera, Verão, Halloween e Natal - são as mais movimentadas. Se puder, evite os períodos de férias lectivas, em particular as francesas, que não coincidem com a maior parte da Europa. Pode consultar o calendário das férias escolares nos vários países da Europa aqui.
Os horários dos parques diferem ao longo do ano. De Outubro a Maio: seg-sex 10h-19h (Disneyland Park) e 10h-18h (Walt Disney Studios). Horários alargados em alguns fins-de-semana. De Junho a Setembro: diariamente 10h-23h (Disneyland Park) e 10h-21h (Walt Disney Studios).
Se a visita decorrer durante o Outono e Inverno, leve algumas camadas de roupa quente porque passará muito tempo ao ar livre. E convém levar sempre um impermeável na mala, mesmo na Primavera ou Verão. No final de Maio, apanhamos uma chuvada daquelas!




3. E OS BILHETES?
Alguns hotéis da Disney incluem as entradas nos parques mas, se vai só passar o dia ou fica alojado noutro local, compre os bilhetes antecipadamente no site ou mesmo na Fnac. Pode fazê-lo no próprio dia, mas perderá muito tempo nas filas. A nossa viagem foi organizada por uma agência, que providenciou os vouchers que trocamos por bilhetes.
Os bilhetes de Segunda a Sexta são os mais baratos (Mini), durante os fins-de-semana existem preços intermédios (Magic) e durante as férias são mais caros (Super Magic). Ou seja, com o Bilhete Super Magic pode visitar os parques qualquer dia do ano e com o Bilhete Mini apenas o poderá fazer durante a semana, excepto feriados.
Por exemplo, para 30 de junho de 2018 (sábado), o preço das entradas para 1 dia, nos dois parques, era de 106€ (adulto) e 99€ (crianças 3-11 anos). Para 2 dias, os preços subiam para 150€ (adulto) e 133€ (criança).

4. PLANEAR A VISITA
Repitam comigo: a primeira coisa a fazer ao entrar nos parques é procurar um mapa e um programa! O programa não só tem os horários de todos os espectáculos, como dos encontros com personagens e respectivos locais (assinalados no mapa com uma luva do Mickey).
Vá às diversões mais populares primeiro, até porque de manhã o tempo de espera é menor. Por exemplo, levante os convites no Pavilhão das Princesas logo às 10h da manhã, caso contrário poderá não conseguir uma audiência real.
Há atracções para todas as idades e tamanhos, planeie as mais adequadas à família e altura das crianças. O Pedro ainda não tem a altura mínima para andar na montanha russa do Indiana Jones (faltou um bocadinho assim…), portanto não incluímos no nosso plano. Verifique também o que está encerrado. Durante o desfile e à hora do jantar as filas são mínimas #ficaadica.
Se comprou bilhete de 1 dia, recomendo que visite o Walt Disney Studios na parte da manhã, já que fecha mais cedo.



5. CINCO REINOS ENCANTADOS
O parque maior está organizado em cinco áreas, com cenários e pormenores maravilhosos. Não sendo possível visitar tudo, especialmente se vai aos 2 parques num só dia, vale a pena seleccionar o que não quer, realmente, perder.
Começamos na Main Street (USA), com uma atmosfera de cidade pequena, semelhante à que viu crescer Walt Disney no início do século. À esquerda fica a Frontierland, terra dos garimpeiros e pioneiros americanos, com monólitos de pedra típicos das montanhas Rochosas. Aqui fica a Big Thunder Mountain (com FastPass), Phantom Manor e Thunder Mesa Riverboat Landing.
Na Adventureland, com cenários da savana africana, ilhas tropicais e a exuberância da selva asiática, há atracções dignas dos mais aventureiros: Piratas das Caraíbas, Indiana Jones and the Temple of Peril! (com FastPass) e a casa da árvore de Robinson Crusoé.
Segue-se a Fantasyland, dos contos de fadas, com o simbólico Château de la Belle au Bois Dormant, Peter Pan’s Flight  (com FastPass), It’s a small world, Labirinto da Alice e o pavilhão das princesas. Por fim, chegamos à Discoveryland, um mundo futurista inspirado na tecnologia, como os visionários Júlio Verne e Leonardo da Vinci teriam imaginado. Aqui fica a HyperSpace Mountain, o Star Tours e o Buzz Lightyear Laser Blast, todos eles com FastPass.

6. AJUDA TECNOLÓGICA: APP E FASTPASS
Já conhece a aplicação da Disney? Para além do mapa dos parques, consegue consultar o tempo de espera de cada diversão (o wi-fi nem sempre funciona, mas se tiver dados, não deixe de a usar). Versão para Android disponível aqui e para iPhone e iPad aqui.
Para além disso, use e abuse do Fast Pass, um serviço gratuito que permite marcar hora para visitar algumas das diversões mais populares. A marcação é feita nas máquinas à entrada das atracções. Cada pessoa só pode ser usar um fastpass de cada vez, podendo obter outro quando o anterior tiver expirado, por ter sido utilizado ou por terem passado 2 horas da emissão.
Na hora marcada (o horário tem um intervalo de 30 minutos), volte e entregue o bilhete fastpass, acedendo a uma fila reduzida que, normalmente, não ultrapassa os 15 minutos de espera. Acha muito? Em certas alturas do dia, o tempo de espera no Ratatouille era de 75 minutos…
E quem viaja com filhos pequenos, deve aproveitar o Baby Switch, serviço que permite à mãe e ao pai andarem numa diversão, um de cada vez, só tendo de esperar uma vez na fila.

A fachada da Pizzeria Bella Notte não é linda?


7. ONDE COMER
De uma maneira geral, as refeições são caras. Quem fica num hotel Disney pode escolher um pacote de meia pensão ou pensão completa que permite comer noutros hotéis e restaurantes do parque (informações aqui). Se quer fazer um almoço a preceito, é melhor reservar com antecedência.
A Disney tem restaurantes com vários tipos de culinária mas, se for difícil agradar a todos, escolha um com serviço de buffet, como o Agrabah Café (Disneyland Park), com comida do Médio Oriente, ou o Restaurant des Stars (Walt Disney Studios). No restaurante Inventions, no interior do hotel de 5 estrelas à entrada do parque, há um buffet luxuoso, animado por várias personagens Disney ao longo da refeição. Mas o preço não é barato: 65€ por adulto e 35€ por criança.
Outro espaço que gostaria de ter conhecido, se tivesse sido mais organizada e tivesse feito reserva, é o Bistrot Chez Remy, no Walt Disney Studios, inspirado no filme do pequeno chef. A decoração é linda mas saiba que um almoço demora cerca de hora e meia. O menu Rémy é o mais barato para adultos, inclui entrada e prato principal, e custa 31,99€ sem bebidas. O menu infantil Petite Chef inclui entrada, prato e sobremesa e custa 18,99€.
Nós optamos por fruta e snacks ao longo do dia, uma refeição rápida ao almoço na Pizzeria Bella Notte no parque grande (30€ por pizza, salada e água, 2 adultos e 2 crianças) e no Restaurant en Colisse, no Walt Disney Studios (46€ por 2 menus de adulto e 2 de criança, com bebidas) e um jantar mais descansado e completo no hotel.



8. ONDE FICAR
A Disneyland Paris possui um conjunto de hotéis bem perto dos parques, com benefícios como as Extra Magic Hours (acesso ao parque duas horas antes da abertura) e encontros com personagens da Disney! Os preços variam muito consoante a categoria, sendo o mais caro o Disneyland Hotel, com o luxo típico dos 5 estrelas (suspiro).
Nós ficamos num dos hotéis parceiros, de preço mais acessível, que inclui transporte gratuito para os parques: o Kyriad Hotel, de três estrelas. Este é um hotel fazenda simples e tranquilo, com animais, longos relvados e um lago. Soube muito bem, depois de um dia cansativo, banho e jantar, relaxar numa paisagem tão linda.
Chegamos muito cedo, pelo que usamos o serviço de lockers gratuito para deixar a bagagem, usamos o shuttle e em 10 minutos estávamos na Disney. Só fizemos o check-in à noite e ficamos num quarto familiar com beliche para as crianças. Simples e eficaz (em breve, um post sobre o alojamento).




9. SAPATINHOS DE CINDERELA
As crianças vivem toda a magia nestes dias Disney, mascarando-se a preceito. Nunca vi tanta princesa junta por metro quadrado (até eu usaria umas orelhas de Minnie, se não fossem tão caras). Mas, atenção, as crianças terão que andar quilómetros, não é a melhor altura para levar os sapatos de cristal!
Aliás, aconselha-se a quem tenha filhos pequenos que leve um carrinho, mesmo que normalmente não precisem. Se o voo só incluir bagagem de mão, pode também alugar um no parque por cerca de 15€/dia. Estes carrinhos têm espaço para pôr o nome da família e, para além disso, pode enfeitá-los com um lenço ou outro pormenor que facilite a identificação.
De resto, é levar água e bonés, ter alguma coisa para entreter os miúdos nas filas e tirar muitas fotografias.

10. UMA PAUSA PARA DESCANSAR
Uma forma inteligente de gerir o cansaço é intercalar as diversões com os espectáculos sentados. Existem vários para desfrutar, com a vantagem de terem horário fixos e tempos de espera curtos.
Além do espectáculo nocturno e do desfile ao fim da tarde, pode assistir ao musical Mickey et le Magicien num teatro, ao Moteurs Action Stunt com acrobacias de duplos de carros e motos (numa bancada com cobertura) ou ainda ao  jantar-espectáculo Buffalo Bill Wild West Show, no Disney Village.
Os espectáculos variam ao longo do ano, portanto, vamos repetir em coro: consulte o programa!


Etiquetas: , , , , , ,